18.09.2016

A importância emocional do esporte para as crianças

Bebês, Cuidados Diários

As Olimpíadas nos trouxeram uma mensagem clara de que não há limites para o sonho esportivo. Torcemos juntos, gritamos e até choramos juntos com os atletas, mas acima de tudo, o espírito olímpico nos lembrou que o esporte não é só superar desafios, é uma excelente oportunidade para construir auto-estima e confiança.

A psicóloga Mônica Pessanha, parceira do blog, contou um pouco pra gente sobre essa importância emocional do esporte na vida das crianças. Confiram que interessante!

crianca_esporte_mascotes_rio_2016
O esporte é uma ótima atividade para as crianças por que oferece uma variedade de benefícios físicos e emocionais. A participação em esportes pode ajudar a construir a auto-estima e confiança, pode motivar as crianças a superar seus desafios e a se envolver socialmente com os outros. Mas não para por aí, praticar esportes ensina a criança a trabalhar com metas, melhorar a concentração e a memória. Além de ser um ótimo recurso para construir habilidades sociais.

Atividade física

A atividade física é o benefício mais óbvio na prática de esportes. Vale tirar as crianças da TV que por vezes dedicam-se mais à ela do que a outras coisas, como estudar e brincar. Praticar esporte proporciona uma oportunidade para manter o corpo saudável e a mente sã . A natação pode ser um bom exemplo de que os pequenos só tem a ganhar. Além de trabalhar a respiração, fortalece os músculos e a ajuda a criança a ter noção espacial. Não tem contra indicação e desde bebê já se pode praticar.

Alguns esportes desenvolvem ainda tomadas de decisão rápidas algo muito importante nas relações sociais e de trabalho. São eles o futebol, o basquete, o vôlei, a esgrima, o Ping- pong, entre outros.Qualquer atividade física ativa reflexos mais rápidos, aumenta o nível de concentração e deixa a memória mais apurada.

Habilidades sociais

A participação esportiva pode ajudar as crianças a desenvolverem habilidades sociais que irão beneficiá-las ao longo de suas vidas inteiras. Elas aprendem a interagir não só com outras crianças de sua idade, mas também com indivíduos mais velhos como seus treinadores e dirigentes esportivos. As crianças aprendem habilidades de liderança, de construção de equipe e de comunicação que irão ajudá-las na escola, em sua futura carreira e em relacionamentos pessoais. Se a criança for muito tímida ou não souber lidar com grupos, vale começar com atividades individuais e aí aos poucos para o esporte coletivo. Exemplo: natação, tênis, vôlei e futebol. Passando do individual, para dupla, depois grupo até chegar em esportes com vários participantes como o futebol.

Auto-estima

A participação em esportes pode ter um impacto positivo enorme em uma criança; principalmente na auto-estima e confiança, pois praticar esporte traz prazer. Além disso a auto-estima está relacionada ao fato de como a criança se vê nos olhos dos outros. À medida que ela vai superando desafios, os elogios e incentivos de treinadores e pais, tendem a construir a auto-confiança em si mesma.

Eles também aprendem a confiar em suas próprias habilidades e empenhar-se para superar os obstáculos. É preciso, no entanto, ter cuidado com as críticas, pois a criança é um ser em formação emocional e quase sempre tem dificuldade em aceitar críticas. Vale sempre o caminho do reforço positivo e, à medida que vão crescendo, a crítica construtiva será também uma parte importante da aprendizagem dos jovens atletas.

A participação dos pais ativamente na prática dos esportes dos filhos é fundamental para dar o suporte emocional sempre que necessário. Estar presente garante o abraço apertado no sucesso e o olhar acolhedor no fracasso.

Sucesso escolar

Não é nenhuma surpresa que as crianças que participam no atletismo obtém resultados excelente para na vida escolar. Elas podem ser aplicados os mesmos princípios de dedicação e trabalho duro aprender com a participação de esportes para seus estudos.

Os esportes estimulam a região córtex pre-frontal do cérebro, responsável pelo planejamento, organização, concentração e memória, além do controle inibitório das emoções. Assim quando se pratica esporte, a criança passa a ser mais cuidadosa com as questões escolares. Mas vale lembrar que se uma criança tem um problema de déficit cognitivo, a atividade física será apenas mais uma ferramenta no processo multidiciplinar que a criança deverá ter acesso para diminuir o impacto da sua dificuldade.

Saúde para a vida toda

Esportes e saúde andam de mãos não. Os benefícios são enormes não só durante a infância, mas na fase adulta também. As crianças que participam de esportes também podem ser mais conscientes das escolhas alimentares saudáveis e estão menos expostas a problemas de peso e estado de melancolias. Embora a participação esportiva seja um excelente caminho para promover a saúde e bem-estar, pais e treinadores devem incentivar uma vida saudável e ser modelos positivos também.

Vale deixar a criança escolher o esporte que queira participar, lembrando que não se deve super lotar a agenda da criança, porque a infância também é tempo de brincar e o brincar por si já desenvolve habilidades cognitivas, psicológicas e físicas.

Mônica Pessanha é psicoterapeuta de crianças e adolescentes, mãe da Mel, uma menina que adora desenhar, mantenedora das Brincadeiras Afetivas (Oficina terapêutica entre mães e filhos(as) – www.facebook.com/brincadeirasafetivas
Atende no Morumbi – SP – monicatpessanha@hotmail.com / (11)965126887 e (11)37215430 – Orientação e aconselhamento para pais por Skype.

Comentários no Facebook
1 Comentário
  1. […] CHEGUEI AO MUNDO […]

    Responder
Deixe um comentário