08.08.2016

Amigo imaginário, uma parte boa da infância!

Educação dos Pequenos, Mamães & Papais

Infância é sinônimo de diversão, brincadeira e também imaginação. Segundo a psicóloga Mônica Pessanha, parceira do blog, é com 2 anos de idade que as crianças costumam entrar em contato com o mundo da fantasia, do “Era uma vez…” e do “faz de conta”. E é nessa fase da vida que surge o amigo imaginário e a criança vai aprender a diferenciar pessoas reais das inventadas.

Vejam que interessante o post de hoje em que a Mônica compartilhou com a gente um texto sobre os amigos imaginários dos nossos pequenos! Confiram!

Children Sisters Playing On The Bed Indoors

Para tranquilizar o coração dos pais, basta saber que é perfeitamente saudável que crianças em idade escolar tenham amigos imaginários. Algumas pesquisas científicas têm apontado que as crianças que têm amigos imaginários estão à frente na aprendizagem e desenvolvimento social.

E no fundo elas fazem isso porque é muito divertido!

Quem se lembra da música que os Backyardigans cantavam todas as vezes que ia começar o desenho? Vamos lembrar?
“Temos o mundo inteiro no nosso quintal, sempre encontrando coisas novas pra brincar. Todos os dias nós vamos contar com os amigos.”

Esse trecho diz muito de como as crianças se divertem e elaboram seus pensamentos. No desenho era possível ver que de um segundo para ou outro o quintal ganhava todos os “acessórios” necessário para a brincadeira; um tronco de árvore passava a ser uma barco. Isso é imaginar, o brincar é imaginar.

Quando as crianças criam mundos em suas cabeças, elas estão flexionando regiões vitais do cérebro. É como se elas praticassem antes de concluírem ações importantes, como respeitar as trocas de interlocutores em um diálogo e fazer amizades. Parece que as crianças se tornam amigas muito facilmente, mas essa é uma visão que os adultos têm por que já passaram por isso, mas no geral leva tempo para a criança fazer amizade. Assim, uma forma de ajudá-la a si mesmo é dialogar com os amigos imaginários, introduzindo nas brincadeiras objetos, como bonecas, carrinhos, super-heróis, lençóis, etc.

O que é bom sobre amigos imaginários?

1- Algumas crianças têm um novo amigo a cada semana, enquanto outros mantêm o mesmo – ou mais – por anos.

2-As crianças sabem que eles não são reais, existem para que possam brincar e desenvolver habilidades de linguagem e sociais.

3-Eles vêm em todas as formas e tamanhos e podem ter personalidades e comportamentos muito diferentes. Eles ajudam a consolidar a imaginação e a criatividade das crianças.

4-Eles oferecem mais do que apenas diversão e companheirismo. Eles existem na imaginação dos pequenos para trabalhar questões da vida real e proporcionar conforto em um mundo que às vezes parece ser assustador. É como se ajudasse as crianças a compreender o mundo, antes de vivenciá-lo. Amigos imaginários podem ser uma janela útil para o que seu filho está sentindo.

5-Apesar de ser uma parte natural do desenvolvimento infantil, e seja mais comum para os filhos únicos ou que nasceram primeiro, isso não significa que eles estão tentando preencher um vazio. Na verdade, muitas vezes o amigo imaginário está ajudando as crianças a se tornarem mais sociáveis e criativas, pois elas podem praticar habilidades verbais e reforçar a confiança.

Alguns pais preocupados com esse “fenômeno” tendem a tentar conhecer o amigo imaginário fazendo inúmeras perguntas,mas estudos científicos têm comprovado que quanto mais se busca saber sobre amigos imaginários, mais rápidos eles desaparecem.

Então, quando você ouvir o seu filho tagarelando no ar é melhor não intervir. É interessante para o desenvolvimento saudável da criança manter o seu companheiro imaginário vivo.

A criança por si mesma, tende a se desligar do amigo imaginário à medida que vai conquistando amigos na escola. E na fase adulta nem vão se lembrar que tinham amigos imaginários; essa memória ficará para os pais. No entanto, mesmo que os adultos não consigam se lembrar deles, o processo que usaram na infância para criá-los, são os que usam para lidar com suas relações afetivas, inclusive no campo profissional. Vale lembra que a imaginação não é algo insignificante, é uma habilidade a ser desenvolvida.

Mantenha em mente que os amigos imaginários são uma parte normal do desenvolvimento de uma crianças. Permitir que a criança viva essa fantasia, pode transformá-la em adultos mais criativos, seguros e socialmente bem relacionáveis porque será na infância que ela irá vivenciar vários papéis e experimentar vários cenários.

Abracem os amigos imaginários de seus filhos e deixe-os fazer parte da família enquanto eles durarem.

 

Mônica Pessanha é psicoterapeuta de crianças e adolescentes, mãe da Mel, uma menina que adora desenhar, mantenedora das Brincadeiras Afetivas (Oficina terapêutica entre mães e filhos(as) – www.facebook.com/brincadeirasafetivas
Atende no Morumbi – SP – monicatpessanha@hotmail.com / (11)965126887 e (11)37215430 – Orientação e aconselhamento para pais por Skype.

01.08.2016

Criança deve brincar na natureza para se preocupar em protegê-la

Brincadeiras e Passeios, Diversão, Educação dos Pequenos, Mamães & Papais

Happy Baby And A Puppy

A falta de contato das crianças com a natureza faz com que elas não sintam a necessidade de protegê-la. Esta é a conclusão do artigo publicado pelo professor e ambientalista, George Monbiot, no jornal britânico The Guardian.

Segundo Monbiot, para entender a importância de proteger a natureza é preciso ter um sentimento pelo mundo natural e sua função, e isso começa a ser desenvolvido durante as experiências na infância.

A conclusão do artigo preocupa muito, já que crianças e adolescentes têm passado a maior parte do tempo em ambientes fechados, principalmente pela insegurança das ruas, a violência, o trânsito perigoso e também o aumento do uso de smartphones, computadores, videogames e televisão.

Além disso, de acordo com o autor, a ausência do contato com o “ar livre” também pode trazer problemas de saúde que são relacionadas à falta de atividades físicas, como diabetes, obesidade, raquitismo e queda das habilidades cardiorrespiratórias.

Interessante esse artigo, né? Temos que pensar nisso, pois de acordo com o estudo muitos pais estão transformando os filhos em pessoas que não se preocupam com a natureza.

O hábito de brincar em um ambiente aberto, natural, com muito verde, grama, árvores só traz benefícios para nossos pequenos! Estudos em muitos países mostram que as crianças são mais criativas em lugares com predominância do “verde” do que dentro de casa.

Fonte: The Guardian

26.07.2016

A importância do relacionamento de crianças com idosos

Educação dos Pequenos, Mamães & Papais

Hoje é Dia dos Avós!!

As crianças têm o poder de iluminar o ambiente onde se encontram. E para avós e bisavós, que muitas vezes podem estar vivendo situações de perda na fase da chegada dos netos, a felicidade um nascimento traz energia para renovar a vida.

De acordo com estudo publicado na Universidade da Flórida (Developing Intergenerational Relationships), ao redor dos 60 anos nos encontramos na fase final de desenvolvimento emocional e, durante essa fase, as pessoas buscam encontrar sentido na vida e nas experiências vividas. E o relacionamento com gerações mais novas ajuda os idosos a se sentirem completos e revigorados. Interessante, né? O estudo levanta ainda 9 benefícios dessas relações. Confiram:

Grandmother Reading Book To Grandchildren Outdoors

1) Oportunidade de aprendizado para ambos;

2) Dar a criança e ao idoso um senso de propósito;

3) Ajuda a criança a entender e mais tarde aceitar sua própria idade;

4) Ajuda a aliviar possíveis medos das crianças em relação ao envelhecimento;

5) Revigora e energiza adultos;

6) Ajuda a reduzir a depressão em idosos;

7) Reduz isolamento de idosos;

8) No caso de crianças que não tem avós próximos, relacionamento com outros idosos pode ajudar a preencher esse vazio;

9) Ajuda a manter histórias de família vivas, passadas de geração em geração.

Para incentivar esse relacionamento lindo entre crianças e avós e colher esse benefício imensurável do amor entre gerações, listamos uma série de atividades que podem ser feitas em conjunto.

É possível aplicar as ideias dentro da família, mas a relação é importante independente do grau de parentesco: amigos, vizinhos e pessoas próximas de forma geral podem acrescentar muito aos nossos filhos, e eles estarão dando bastante em troca nessa bonita relação.

  • Contação de histórias
  • Ensinar habilidades: ensinar a pescar, cozinhar, fazer croche, cuidar de plantas e animais, há uma série de atividades onde as crianças podem ficar fascinadas com os novos aprendizados.
  • Ler um para o outro: cada um pode escolher uma história que goste e ler para o outro.
  • Preparar uma refeição juntos: crianças costumam adorar ajudar a fazer comidinhas, bolos e doces.
  • Elaborar uma árvore da família: avós amam contar lembranças da família e crianças têm bastante curiosidade sobre o assunto.

 

Page 3 of 1512345