13.04.2015

Saiba quais são os tratamentos estéticos mais indicados no pós-parto

Saúde, To Grávida

Depois de 9 meses de gravidez nos deparamos com um corpo completamente diferente após o parto. Não temos mais aquele barrigão, mas também em nada lembra o corpo de antes da gravidez!

Buscando entender melhor as mudanças e possíveis ajudinhas estéticas para tratamentos pós parto, conversamos com a fisioterapeuta e dermato funcional Adriana Maiworm. Vejam que legal o texto dela exclusivo para o blog e quais tratamentos para quem está amamentando e para quem já parou de amamentar.

Illustration of a Woman Showing Her Belly to Her Cosmetic Surgeo

Durante a gestação o corpo da mulher sofre grandes mudanças: o útero cresce de cinco a seis vezes quando comparado ao tamanho inicial; o sistema circulatório produz um volume maior de sangue e, frequentemente, ocorre edema dos membros inferiores; a pele estica-se muito, podendo surgir as temidas estrias, e mais gordura é acumulada para proteção do bebê, principalmente em abdome e culotes. Ainda podem ocorrer manchas na pele e acne devido às alterações hormonais.

Assim que o bebê nasce, os hormônios começam a atuar sobre o útero para que ele volte ao tamanho de antes, o que demora, em média, um mês para acontecer. Os níveis sanguíneos normais são retomados, em média, seis meses após o parto. A gordura vai começar a ser gasta, em especial se você estiver amamentando e/ou fazendo exercícios físicos. Manchas, estrias e sequelas de acne demoram mais e precisam de especial paciência.

A rapidez no retorno do formato corpóreo depende de quantos quilos você engordou na gravidez, do nível de atividade física no pós parto e da parte genética, que é individual e sobre a qual não podemos atuar. Observa-se comumente que mulheres que engordaram menos de quinze quilos na gravidez, que permaneceram com exercícios físicos durante a gestação e que estão amamentando tendem a emagrecer mais rápido.

Alimentação balanceada e atividade física regular, liberada pelo médico que acompanha você, são fundamentais para esta fase. Os tratamentos estéticos entram como auxiliares para melhorar os resultados.

Se faz necessário sempre uma avaliação prévia para determinar o caminho a seguir e depois analisar cada procedimento e suas ações fisiológicas. A cautela será sempre a melhor opção.

A escolha do tratamento será relacionada diretamente a dois pontos: tipo de parto e se a mulher está amamentando ou não.

Se o parto for cesárea, o tempo do início do tratamento estético determina o que poderá ser usado, considerando que o local está em processo de cicatrização. Lembrando que a data de liberação para início do tratamento deve ser recomendada pelo seu obstetra.

No caso da mulher estar amamentando, algumas indicações são:

  • Drenagem Linfática: Movimentos suaves como uma leve massagem, com sentido e direção determinados, a drenagem atua no sistema linfático auxiliando na remoção do edema e eliminação das toxinas, além de auxiliar na defesa imunológica.
  • Radiofrequência: É uma técnica não invasiva que através de aquecimento na pele produz uma retração no colágeno promovendo sua remodelação, melhorando assim a flacidez de pele corporal. É também dirigida ao tratamento da celulite, através do aumento da temperatura interna do tecido que promove um aumento da circulação sanguínea em direção ao tecido conectivo estimulando a drenagem linfática, diminuindo a concentração de toxinas no adipócito, que é a célula de gordura, reduzindo assim seu tamanho o que também promove a diminuição de gordura localizada.
  • Criolipólise: É também uma técnica não invasiva que tem como única função diminuir a gordura localizada. Utiliza de um método com sucção e resfriamento controlado da camada de gordura, não danificando pele ou outros tecidos. Observa-se cerca de 20% de diminuição da camada de gordura após a segunda sessão, sendo que as sessões têm espaçamento recomendado de um mês. Atenção, devido à sucção não poderá ser realizada na região de abdome nos primeiros meses do pós parto.
  • Peeling de Diamante: promove a renovação celular, clareia as manchas, diminui a oleosidade, atua em possíveis sequelas de acne, atua nas estrias e ainda ajuda nas linhas de expressão superficiais e profundas. Ele funciona basicamente com uma lixa que retira as células mortas e estimula a produção de colágeno, sem deixar marcas.

Quando a mulher não mais está amamentando crescem as possibilidades de tratamento, que são, no geral, ligeiramente mais invasivos.

  • Peeling Quimico: Peeling a base de ácidos são mais potentes e penetram mais profundamente na pele, podendo ser usados para manchas e estrias mais resistentes ou ainda sequelas de acne mais profundas. O tipo de ácido a ser usado deve ser determinado após uma avaliação e objetivo traçado.
  • Carboxiterapia: Tratamento realizado com aplicação de gás carbônico através da pele. Nos casos de gordura localizada, ao penetrar o gás promove aumento da circulação sanguínea, com consequente melhora do metabolismo local; já nas estrias o gás é utilizado para um descolamento pontual em cada estria, o que promove uma regeneração do tecido e consequente diminuição da estria.
  • Sonoporação: Equipamento conhecido como Manthus®, combina ultrassom, correntes elétricas e eletroporação, possibilitando melhora nos quadros de celulite e gordura localizada, além de favorecer a penetração de princípios ativos, podendo ser realizado com gel lipolítico (específico para auxiliar na diminuição da gordura localizada).
  • Laser Fracionado de CO2: Uma possibilidade mais rápida, porém mais invasiva, este laser promete uma renovação da pele. Altamente eficaz para machas, estrias e cicatrizes de sequela de acne.

A estética é consequência da saúde. Alimente-se bem, pratique exercícios orientados e se achar que necessita de uma ajudinha, procure um profissional capacitado, que lhe direcionará ao melhor tratamento.

Adriana Maiworm
Clínica: Ipanema (21 3597-0261 ou 2198264-6937)
amaiworm@gmail.com e www.facebook/physiofitipanema

 

06.04.2015

Dicas para cuidar da cicatriz da cesárea

Parto, Saúde, To Grávida

Com novas técnicas e cuidado dos médicos, a cicatriz da cesárea fica praticamente imperceptível na maioria das mulheres. Uma marquinha horizontal próxima do biquíni. Nada além disso! (obs.: essa da foto está maior e mais em cima do que o normal…)

Mas, para ter uma boa cicatrização, também é importante que as mamães cuidem bem no pós-operatório. Conversamos com a dermatologista Thatiana Blumenberg que nos passou ótimas dicas para amenizar a cicatriz! Confiram:

Scar Of Caesarean Section

Dicas para cuidar da cicatriz da cesárea –  por Thatiana Blumenberg

Verdade seja dita, a cicatriz da cesárea tá cada dia menor. Nas sortudas são finas (atróficas) e ficam quase imperceptíveis… mas, podem ser também hipertróficas (elevadas, fibrosas, respeitando a área do corte) ou formar até queloide (fibrosas que ultrapassam o corte), principalmente em morenas, negras e orientais.

Manter a área seca e limpa e fundamental nos primeiros 15 dias!! O melhor momento para usar cremes ou  gel cicatrizante como Skimatix, kelocote (amo!! principalmente em spray) Bio oil, óleo de rosa mosqueta… é assim que tirar os pontos! E em média, se avalia a cada 2-3 meses de uso.

Tudo vai depender do tipo de cicatriz e do tom de pele.

Tratamentos com infiltração de corticóide na lesão, betaterapia e laser podem ajudar ainda mais os casos complicados.

A vermelhidão na cicatriz dura em média de 6-12 meses e o fato de usar a tão temida cinta, cicatrizantes e evitar o esforço físico ajudam muito pra que ela fique melhor.

Bom, a grande verdade é que o tempo é “o melhor amigo” da cicatriz! Com o passar do tempo, mais parecida com o tom da pele e mais discreta ela se torna!

Feia ou bonita, o mais importante é lembrar o porque você tem ela!

Dra. Thatiana H. Blumenberg
Consultórios: Ipanema (tel.:3322-1038) /Laranjeiras (tel.: 2125-6920) / Barra (tel.: 3385-4597)
thbdermatologia@gmail.com / Instagram: @THBdermatologia

24.03.2015

Suco Verde: Grávidas e Crianças podem tomar?

Bebês, Saúde, Saúde, To Grávida

Ele é rico em nutrientes, é o suco queridinho do momento e a nossa top Gisele Bündchen já postou foto linda da filha fofíssima se atracando no suco direto do liquidificador!! rsrs  Mas, afinal, o suco verde pode ser consumido por crianças e grávidas?

Veja a opinião da nossa parceira nutricionista Nara Corona e saiba como desfrutar desse tipo de suco!

vivian gisele bundchen suco verde criança grávida

 (Foto: Reprodução/Instagram Gisele Bündchen)

Suco verde na Gestação – por Nara Corona

Sucos verdes são a bebida símbolo da alimentação saudável, e de fato carregam com eles muitos nutrientes que fazem bem ao nosso corpo. As variações são as mais diversas e podem ser incrementados com frutas, raizes, grãos, farinhas integrais, óleos, e muitas folhas é claro.

Buscando uma boa alimentação para toda a família, muitas mães estão turbinando o café da manhã de seus filhotes com sucos verdes, mas quando falamos em crianças é importante ter alguns tipos de cuidados!

O primeiro deles é com a higienização, que deve ter atenção redobrada com todos os alimentos que não são expostos ao calor, e são consumidos crus. Essa medida deve ser tomada como precaução a contaminação por microrganismos ou mesmo a possibilidade de contrair a toxoplasmose. Dessa forma tenha certeza de que as folhas estão higienizadas com substâncias específicas e de que foram lavadas em água corrente filtrada, para que os malefícios não sejam maiores do que os benefícios. O mesmo vale para as frutas que forem processadas com casca!

O segundo ponto importante que deve ser evitado para crianças com menos de quatro anos é a raiz crua. Na maioria das raízes como a batata por exemplo, o amido presente nela sofre uma modificação na presença do calor, transformando em um tipo de açúcar de fácil digestão, dai a importância de aquecer o amido das raízes. Para as crianças que ainda não tem todas as enzimas específicas para digerirem todos os tipos de alimentos, um pedaço de batata crua pode causar incômodos como dores abdominais ou aumento de gases.

Para as gestantes é importante checar o funcionamento da tireoide para saber se há alguma disfunção, porque a couve, que é a verdura mais cogitada nos sucos verdes, exerce efeito sobre essa glândula. A mesma atenção na higienização deve ser feita, evitando a contaminação através das folhas cruas.

Com atenção e alguns cuidados, todos podem desfrutas das delícias da natureza em forma de suco!

Nara Corona é nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pela Unicsul /VP Consultoria Nutricional – Divisão de Ensino e Pesquisa São Paulo, é sócia da Consultoria Nutricional Nara&Duda Alimentação Inteligente, administra a fanpage Nara&Duda, atende em seu consultório no Leblon e na Barra da Tijuca, no RJ. Contatos: naracorona@globo.com naraedudanut@gmail.com Tel: (21) 98836-1994 / 2492-3360 fb: Nara&Duda

Page 5 of 734567