22.02.2017

Amamentação: Você já ouviu falar em Apojadura?

Bebês, Cuidados Diários

A amamentação é uma fase de muitas dúvidas para as novas mães. Quem vê a mulher amamentando tranquilamente seu bebê não imagina que oferecer o seio ao filho pode causar certos desconfortos, que geram dor e ansiedade. Um desses desconfortos fisiológicos é o processo da Apojadura, que é a famosa “descida do leite”.

Nome estranho esse, né? Vejam todas as informações dessa fase super importante que a enfermeira especialista em amamentação, Paloma Brandão, passou pra gente.

apojadura amamentacao

A apojadura é a fase onde ocorre o preparo da mama para o início da produção do leite. As mamas aumentam sua capacidade em armazenar o leite e começa a alteração da composição do leite, passando da fase do colostro para a fase do leite de transição.

O que é apojadura?

Apojadura é o preparo da mama para a produção de leite que, geralmente, acontece até cinco dias após o parto. Neste período, as mamas ficam maiores e bem cheias, por igual, e algumas vezes quentes, causando incomodo e dor local.

Esse desconforto pode realmente incomodar. No entanto, é fundamental não desistir de amamentar, logo a mama vai estabilizando a produção do leite com a demanda do bebê. Realmente no período da apojadura o qual tem a duração de 2 a 3 dias a mama enche de leite muito rápido logo após a mamada, e a mama fica dolorida. Porém as mães devem ficar atentas em só manipular a mama no momento da mamada do seu bebê, ou seja, no período de 3 em 3 horas ou quando o bebê solicitar. Pois caso a mama seja massageada e ordenhada em períodos aleatórios, pode causar o efeito inverso, estimulando ainda mais a mama e aumentando o risco do ingurgitamento mamário (a famosa mama empedrada).

Como podemos minimizar o incômodo da apojadura?

A melhor coisa para a mulher se sentir confortável é massagear a mama antes de colocar o bebê para mamar. Assim, facilita para o bebê fazer a pega correta e garante que o mesmo irá esvaziar a mama, contribuindo para não ficar muito tempo o leite parado.

Se acontecer da mama permanecer edemaciada (inchada) na região da aréola, mesmo após a massagem, é importante  ordenhar um pouco a mama para daí oferecê-la à criança. Assim o bebê conseguirá fazer a pega correta, prevenindo o risco da fissura mamilar e garantindo o esvaziamento da mama.

Como realizar a massagem nas mamas? 

Com a polpa de 3 dedos comece fazendo a massagem suave em movimentos circulares iniciando ao redor de toda a aréola (parte escura da mama) e depois em direção à raiz da mama (próximo ao tórax), de forma circular, abrangendo toda mama. Realizando em seguida uma pequena ordenha da aréola para que esta fique bem macia, o que facilita a pega para o bebê.

Como identificar a apojadura?

É bastante comum confundir a apojadura com outros problemas que podem ocorrer nos seios da mãe, como o ingurgitamento mamário, que surge quando a pega do bebê está errada, então o bebê não consegue sugar todo o leite, e esta retenção de leite na mama gera o que conhecemos como leite “empedrado”.

A apojadura pode causar até um estado febril na mãe, porém ela se diferencia das outras alterações, pois não há presença de áreas avermelhadas nas mamas e não há inflamação local. A mãe vai observar que o bebê mamando e ela massageando a mama, logo os sintomas vão minimizando e aliviando o incomodo local.

 

Paloma Brandão é enfermeira Neonatologista especialista em amamentação / palomag.brandao@gmail.com / Instagram: @amamentandobem

 

20.02.2017

Alerta de fantasia infantil: Unicórnio

Bebês, Bebês com Estilo

Os Unicórnios estão tomando conta do universo infantil em roupas, acessórios, brinquedos… estamos vendo eles por toda parte! Um dos principais motivos é o sucesso do desenho My Little Pony, que ganhará as telonas em outubro deste ano.

E como o carnaval está chegando, fizemos uma seleção linda de referências para fantasias no tema Unicórnio. Vejam que fofas!

bebe_unicornio_carnaval

bebe_unicornio_2

meninas_unicornio

menina_unicornio_2

fantasia_unicornio

unicornio fantasia4

unicornio fantasia3

unicornio fantasia2

unicornio fantasia

(Fotos: Pinterest)

16.02.2017

5 lições que todos podemos aprender com Moana

Educação dos Pequenos, Mamães & Papais

O horizonte me pede pra ir tão longe, será que vou?  Essa pergunta é a tônica do dilema vivido por Moana, personagem principal do novo filme da Disney.

Vivendo numa ilha com seus pais, Moana é preparada desde pequena para sua grande missão: tornar-se a líder de seu povo. No entanto, seu coração fica dividido entre cumprir a sua missão ou desbravar o horizonte, linha que SEU pai ensinou a jamais ultrapassar. Mas quais lições podemos aprender a partir da história de Moana?

moana

A nossa psicóloga parceira, Monica Pessanha, listou 5 principais lições para aplicação prática em nossas vidas, e valem para adultos, adolescentes ou crianças. Confiram!

1-Alguns limites foram feitos para serem quebrados:A ilha em que Moana vive proíbe qualquer pessoa de se aventurar passando o recife por causa de seu “grande perigo”. No entanto, quando uma nova doença afeta as culturas e os recursos de sua casa, Moana toma em suas próprias mãos a responsabilidade de encontrar a solução para o problema de sua aldeia. Parece haver uma dose pesada de simbolismo no modo como Moana decide ultrapassar o recife e começar sua aventura. Essa cena pode inspirar-nos a empurrar o que quer que esteja nos segurando – seja o nosso próprio medo de avançar ou daquilo que as outras pessoas possam pensar – ou ainda, o bloqueio emocional provocado por um fracasso anterior. Quando estamos dispostos a ultrapassar os limites dos desafios, nenhum mar tempestivo poderá segura a força do desejo de tudo conseguir.

2-Ter paciência sempre: Paciência é a chave para a felicidade e é possível ver isso em quase todo o filme. Por exemplo, Moana deve desenvolver paciência suficiente para aprender a navegar e a lidar com Maui. É interessante perceber que no início, não há uma relação de confiança entre Maui e Moana. Essa relação teve que ser construída à medida que a paciência também foi desenvolvida. Durante o filme vemos Moana falhar algumas vezes antes que ela finalmente consiga atingir seu objetivo. Talvez esse seja o princípio mais importe para termos dentro de nós: antes de vencermos, vamos falhar. Isso nos torna humildes e fortes.

3-O mundo é uma diversidade cultural: Esta pode ser outra boa lição que Moana oferece. Alguns de nós tendemos a esquecer que existem outras culturas além da nossa e vivemos como se não fosse importante respeitar os outros. Moana respeita e compreende que a diversidade cultural traz mais benefícios para se conseguir a vitória. Durante a jornada de Moana, ela conhece diferentes tipos de pessoas, criaturas e deidades que carregam seu próprio comportamento. Moana, uma princesa polinésia, é um forte protagonista para outras minorias verem e nos lembra que a Terra é compartilhada por muitas culturas diferente. 

4-Ser forte sempre: VOCÊ É MAIS FORTE DO QUE VOCÊ SABE. Na maioria dos filmes da Disney, há uma princesa sendo resgatada. Aí aparece Moana e você tem uma experiência completamente diferente. Em vez de se concentrar na necessidade de ser resgatada. Esse filme dá uma forte mensagem de que você é mais forte do que você sabe.Moana tem muita força interior. Somos capazes de vê-la realmente lutar com os medos e conflitos mais internos. Não há um príncipe vindo ao resgate. Sem estragar nada, vou dizer-lhe que há uma bela mensagem aqui sobre encontrar sua força e superar circunstâncias difíceis.

5-Conhecer seu propósito de vida: “Aqui sempre, sempre à beira da água desde  quando eu me lembro, não consigo explicar, tento não causar nenhuma mágoa, mas sempre volto pra água” Nesse início da música que se chama Quem Sou, fica claro o fato de que todos temos um propósito. O de Moana era ultrapassar os recifes e salvar sua cultura. Ela sabia quem eram seus ancestrais e que seus descentes precisavam da força para sobrepujar os desafios. Saber quem somos e qual é nossa missão de vida, ajuda a olhar para além do horizonte sem medo dos monstros. Mas se você ainda não sabe qual é seu propósito de vida, vale pensar no que mais você gosta de fazer. Nosso propósito de vida quase sempre está relacionado àquilo que gostamos de fazer.

 

Mônica Pessanha é psicoterapeuta de crianças e adolescentes, mãe da Mel, uma menina que adora desenhar, mantenedora das Brincadeiras Afetivas (Oficina terapêutica entre mães e filhos(as) – www.facebook.com/brincadeirasafetivas
Atende no Morumbi – SP – monicatpessanha@hotmail.com / (11)965126887 e (11)37215430 – Orientação e aconselhamento para pais por Skype.

Page 4 of 20523456