22.02.2017

Amamentação: Você já ouviu falar em Apojadura?

Bebês, Cuidados Diários

A amamentação é uma fase de muitas dúvidas para as novas mães. Quem vê a mulher amamentando tranquilamente seu bebê não imagina que oferecer o seio ao filho pode causar certos desconfortos, que geram dor e ansiedade. Um desses desconfortos fisiológicos é o processo da Apojadura, que é a famosa “descida do leite”.

Nome estranho esse, né? Vejam todas as informações dessa fase super importante que a enfermeira especialista em amamentação, Paloma Brandão, passou pra gente.

apojadura amamentacao

A apojadura é a fase onde ocorre o preparo da mama para o início da produção do leite. As mamas aumentam sua capacidade em armazenar o leite e começa a alteração da composição do leite, passando da fase do colostro para a fase do leite de transição.

O que é apojadura?

Apojadura é o preparo da mama para a produção de leite que, geralmente, acontece até cinco dias após o parto. Neste período, as mamas ficam maiores e bem cheias, por igual, e algumas vezes quentes, causando incomodo e dor local.

Esse desconforto pode realmente incomodar. No entanto, é fundamental não desistir de amamentar, logo a mama vai estabilizando a produção do leite com a demanda do bebê. Realmente no período da apojadura o qual tem a duração de 2 a 3 dias a mama enche de leite muito rápido logo após a mamada, e a mama fica dolorida. Porém as mães devem ficar atentas em só manipular a mama no momento da mamada do seu bebê, ou seja, no período de 3 em 3 horas ou quando o bebê solicitar. Pois caso a mama seja massageada e ordenhada em períodos aleatórios, pode causar o efeito inverso, estimulando ainda mais a mama e aumentando o risco do ingurgitamento mamário (a famosa mama empedrada).

Como podemos minimizar o incômodo da apojadura?

A melhor coisa para a mulher se sentir confortável é massagear a mama antes de colocar o bebê para mamar. Assim, facilita para o bebê fazer a pega correta e garante que o mesmo irá esvaziar a mama, contribuindo para não ficar muito tempo o leite parado.

Se acontecer da mama permanecer edemaciada (inchada) na região da aréola, mesmo após a massagem, é importante  ordenhar um pouco a mama para daí oferecê-la à criança. Assim o bebê conseguirá fazer a pega correta, prevenindo o risco da fissura mamilar e garantindo o esvaziamento da mama.

Como realizar a massagem nas mamas? 

Com a polpa de 3 dedos comece fazendo a massagem suave em movimentos circulares iniciando ao redor de toda a aréola (parte escura da mama) e depois em direção à raiz da mama (próximo ao tórax), de forma circular, abrangendo toda mama. Realizando em seguida uma pequena ordenha da aréola para que esta fique bem macia, o que facilita a pega para o bebê.

Como identificar a apojadura?

É bastante comum confundir a apojadura com outros problemas que podem ocorrer nos seios da mãe, como o ingurgitamento mamário, que surge quando a pega do bebê está errada, então o bebê não consegue sugar todo o leite, e esta retenção de leite na mama gera o que conhecemos como leite “empedrado”.

A apojadura pode causar até um estado febril na mãe, porém ela se diferencia das outras alterações, pois não há presença de áreas avermelhadas nas mamas e não há inflamação local. A mãe vai observar que o bebê mamando e ela massageando a mama, logo os sintomas vão minimizando e aliviando o incomodo local.

 

Paloma Brandão é enfermeira Neonatologista especialista em amamentação / palomag.brandao@gmail.com / Instagram: @amamentandobem

 

17.11.2016

Tudo o que você precisa saber sobre Amamentação

To Grávida

Amamentação, esse é um assunto delicado que gera muitas dúvidas, principalmente nas mães de primeira viagem.

Ainda na maternidade o corpo da mãe passa por muitas novidades… o colostro está descendo, o bebê aprendendo a sugar direito e a mãe entendendo como é a pega ideal. Mas como fazer para que funcione tudo 100% na amamentação?

Com três anos de blog e muitos posts sobre o assunto, decidimos reunir aqui tudo que já escrevemos de amamentação para tentar ajudar quem está buscando informação. Afinal, quanto mais conhecimento você tiver antes do parto, mais segura ficará e maiores serão as chances de sucesso nessa fase.

Happy Mother Breast Feeding Her Baby Infant

21.10.2016

Amamentação: Já ouviu falar em Translactação e Relactação?

Bebês, Saúde, Saúde, To Grávida

Gravidinhas e mães recentes, esse post é pra vocês. Todas nós sabemos da importância do aleitamento materno e hoje vamos destacar aqui as vantagens das técnicas de amamentação chamadas de Relactação e Translactação.

Nunca ouviu falar? Essas técnicas são super comuns de serem feitas através de uma sondinha que ajuda – e muuuito – a amamentação, estimulando a produção do leite materno.

Conversamos com a enfermeira especialista em amamentação Paloma Brandão para entender como funciona e ela escreveu esse texto com dicas super importante pra ajudar vocês. Confiram!

translactacao_amamentacao_bomba_relactacao

O leite humano provê ao recém‑nascido não apenas os nutrientes para o crescimento, mas uma gama de componentes moduladores do desenvolvimento neonatal, sendo amplamente recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Assim, todos os esforços devem ser feitos para garantir a produção do leite materno e o contato pele a pele da mãe com o seu bebê.

E um dos passos para alcançar o aleitamento materno caso for preciso, é usar métodos alternativos à mamadeira pelo menos até o completo estabelecimento da amamentação e somente usar bicos ou chupetas por motivos justificados.

Com isso, um método bastante utilizado para complementar o aleitamento materno é a técnica de Translactação ou Relactação, quando por algum motivo, o recém-nascido precisa ingerir uma quantidade de leite conforme prescrição do pediatra, este leite é ofertado para o bebê enquanto esta amamentando em seio materno.

Como funciona?

A translactação e a relactação são técnicas semelhantes, porém, a diferença é que a translactação usa somente o leite materno ordenhado previamente e a relactação usa o leite artificial prescrito pelo médico.

Esta técnica de ofertar o complemento consiste em colocar o bebê ao peito abocanhando mamilo e aréola para mamar e através de uma sonda que é colocada no cantinho da boca do bebê faz com que ao sugar o peito da mãe o leite da mamadeira é sugado simultaneamente. Desse jeito o bebê não larga o peito, e a sucção ajuda a estimular a produção de leite da mãe.

Como é a preparação para realizar a translactação/relactação?

Colocar o leite dentro de uma mamadeira sem a tampa, inserir uma sonda descartável de aspiração gástrica número 4 (vendido em farmácias ou em lojas de produtos hospitalares) com a extremidade mais grossa dentro da mamadeira. Caso a mãe esteja sozinha é importante fixar entre os seios uma pequena fita adesiva para segura a sonda e colocar a mamadeira entre os seios com o sutiã. A ponta mais fina da sonda é inserida no cantinho da boca do bebê enquanto ele suga no seio materno. Com isso o bebê será alimentado com a quantidade de leite necessária para o seu crescimento, seguindo as recomendações do pediatra, porém não vai ter o risco de confundir os bicos. E os estímulos da sucção, o olhar do bebê próximo ao rosto da mãe e o contato pele a pele favorecerão para a liberação dos hormônios contribuindo para a produção do leite materno.

Como retirar o leite materno? 

A técnica da ordenha manual pode ser uma opção para retirada do leite materno para utilizar na técnica da translactação. É importante sempre ordenhar a mama que não foi ofertada na mamada. Segue o passo a passo da ordenha manual:

▶ Higienizar as mãos com água e sabão antes de iniciar;

▶ Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas, iniciando ao redor de toda a aréola (parte escura da mama) e depois de forma circular, abrangendo toda mama. Massageie as mamas com as polpas de 3 dedos;

▶ Primeiro coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama);

▶ Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo;

▶ Comprima suavemente um dedo contra o outro, repetindo esse movimento várias vezes até o leite começar a sair;

▶ Despreze os primeiros jatos ou gotas e inicie a coleta no frasco.

A outra opção para retirada do leite materno é através da bomba da ordenha, que também deverá passar pelo processo da massagem, e depois colocado a bomba no seio materno. Este processo com a bomba é importante não ultrapassar 20 a 30 minutos, pois pode estimular mais que o necessário a produção de leite.

Armazenamento e validade do leite ordenhado: 

O armazenamento deste leite materno, independente da forma de retirada do leite, é importante atentarmos para a validade e forma de armazenar. O leite materno na geladeira tem validade apenas de 12 horas a partir do momento da ordenha, de preferência na primeira prateleira e nunca na porta da geladeira. E o leite armazenado no congelador tem a validade de 15 dias. No frasco do leite, é preciso anotar a data e horário da primeira retirada do leite, e caso for necessário pode acrescentar no leite congelado outra quantidade de leite ordenhado em horários diferentes, porém o que estará valendo é a data/ horário da primeira vez.

No momento de oferecer este leite retirar o leite materno do congelador e descongelar na geladeira. O leite da geladeira poderá ser descongelado na temperatura ambiente ou colocar o frasco com leite, em um recipiente com água morna e deixar esquentar em banho-maria.

Independente de qual tipo de leite (fórmula artificial ou leite materno) que será utilizado na técnica, o importante é lembrarmos que estamos contribuindo para o bebê ter uma alimentação saudável e desenvolvendo o contato e afeto com a sua mãe com muito carinho e amor.

 

Paloma Brandão é enfermeira Neonatologista especialista em amamentação / palomag.brandao@gmail.com / Instagram: @amamentandobem

Page 1 of 512345