04.11.2014

Como amamentar seu bebê?

Bebês, Cuidados Diários

Amamentar é uma forma de dar saúde, carinho e proteção ao bebê; uma forma especial de comunicação entre a mãe e o filho. Ao ser amamentada, a criança aprende a se comunicar com afeto e confiança!

Mas essa também é uma fase cheia de dúvidas!

Como amamentar? Por quanto tempo?

Vejam esse ótimo texto da Dra Danielle Negri, nossa parceira pediatra, com todas as informações que precisamos para ficarmos mais seguras na amamentação.
amamentacao_foto
Como amamentar seu bebê? – por Danielle Negri

O leite materno é o alimento ideal para o bebê. Até os seis meses de idade, seu filho só precisa do leite da mãe, não sendo necessária a oferta de água ou chás. Após essa primeira etapa deve ser introduzida uma dieta variada, uma vez que o leite materno não fornece mais a quantidade adequada de nutrientes. Contudo, a amamentação deve ser continuada até os dois anos ou mais.

COMO AMAMENTAR

O peito deve ser oferecido sob livre demanda, ou seja, sempre que seu filho pedir. Deixe-o mamar até que ele fique satisfeito. Cada criança tem seu ritmo, que pode variar dependendo do seu tamanho e da sua fome. O ritmo do bebê deve ser respeitado.

O recém–nascido precisa ser amamentado frequentemente nos primeiros dias, mamando de dez a doze vezes nas 24 horas. Na primeira semana, o intervalo entre as mamadas varia de uma a três horas. Alguns bebês dormem muito e, nesse caso, talvez seja melhor acordá-los para o aleitamento. Para que a criança desperte, recomenda-se retirar as roupas, trocar a fralda ou massagear seus pés suavemente, aproximando-o do peito para mamar. Após o período neonatal (primeiras quatro semanas de vida), cada bebê vai estabelecendo seu ritmo. Os intervalos entre as mamadas vão aumentando para duas ou três horas durante o dia e quatro a cinco horas durante a noite.

TEMPO DE MAMADA

O tempo de permanência no peito em cada mamada não deve ser pré-determinado, uma vez que a habilidade em esvaziar a mama varia de acordo com o bebê e, mesmo no caso de uma criança maior, pode variar ao longo do dia, dependendo das circunstâncias. O importante é que se esgote a mama, pois o leite do final da mamada (leite posterior) contém mais gorduras, o que dará à criança a sensação de saciedade e a engordará. Sempre que o bebê quiser, ofereça os dois seios em cada mamada e comece a próxima com o seio no qual o bebê mamou por último na mamada anterior.

Nos primeiros três dias de vida, o bebê mamará apenas o colostro, o que é de suma importância. Ele funciona como a primeira vacina, pois é rico em fatores imunológicos. O colostro é produzido em pequena quantidade, mas esse pequeno volume é suficiente. Tem efeito laxativo e não sobrecarrega os rins. Portanto, não se deve oferecer complemento utilizando fórmulas antes que o bebê receba o colostro.
Não existe leite fraco. Mesmo mulheres mal nutridas têm condição de produzir leite de boa qualidade.

Diversos sinais podem ser observados como indicadores de que o bebê está recebendo uma boa quantidade de leite materno. São eles:

  • O bebê mama pelo menos oito vezes por dia.
  • Molha pelo menos seis fraldas e evacua de três a oito vezes por dia em 24 horas.
  • A mãe sente o peito esvaziar.
  • O bebê ganha peso.

Não há necessidade de limpeza das mamas após cada mamada, sendo suficiente a aplicação de pequena quantidade do próprio leite nos mamilos, além da exposição ao ar e, se possível ao sol.

FATORES DECORRENTES DA AMAMENTAÇÃO

  • Fezes líquidas
    Bebês alimentados ao seio costumam ter fezes líquidas (reflexo gastrocólico). Isso é normal, pois o leite chega ao estômago e desencadeia um reflexo de esvaziamento rápido do intestino. Nos primeiros dois meses, o bebê pode evacuar até oito vezes por dia. Depois, esse intervalo se torna bem maior, de 24 a 48 horas.
  • Icterícia do leite materno
    Entre a terceira semana e o terceiro mês de vida, mais ou menos 1% dos bebês apresentam icterícia, que é a colocação amarelada da pele e das mucosas. Esse evento não costuma ser intenso e é benigno, não necessitando tratamento. Após o terceiro mês, desaparece sem deixar sequelas.
  • Mamilos invertidos
    Mamilos planos ou invertidos podem dificultar a amamentação. O uso de conchas de silicone pode ser necessário, porque normalmente elas ajudam a formar o bico dos seios.
  • Cólicas
    Aparecem no final da primeira semana de vida e são causadas pela imaturidade enzimática do intestino, que acarreta fermentação e gases. A relação da dieta materna com esses problemas é discutível, e não se aconselha oferecer chás entre as mamadas. Remédios contra gases  têm pouca eficácia. As cólicas desaparecem ao final do terceiro mês, e a melhor medida é acalmar o bebê para que ele elimine os gases.
  • Fissuras e rachaduras
    São causadas pela posição incorreta da pega. Para evitá-las, além de corrigir a pega, deve-se utilizar o próprio leite, no final da mamada, para hidratar e lubrificar a pele dos mamilos. É aconselhável deixá-los expostos ao ar e ao sol. Não é indicado o uso de casca de banana ou mamão para tratamento dos mamilos.

A  Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que o aleitamento materno exclusivo seja praticado até o sexto mês de vida. A partir daí devem ser introduzidos novos alimentos sem a suspensão da mamada do peito, que deve se estender até os dois anos. Deve-se ressaltar que a criança maior que ainda vai ao peito não o faz por necessidade nutricionais, e sim, afetivas. Desta forma, esse prazo final não deve ser visto com rigidez, e a interrupção deve ser feita de maneira progressiva e atraumática, sem danos emocionais para a mãe ou para o bebê.

Se você sentir alguma insegurança, consulte o pediatra.

Dra. Danielle Negri é Pediatra/Neonatologista  – Médica Supervisora UTI Neonatal Perinatal Barra
Consultório – (21) 2512-8409
dradani@daniellenegri.com.br – www.daniellenegri.com.br

22.08.2014

Amamentação – Como se alimentar nessa fase?

Bebês, Cuidados Diários

amamentacao

A fase da amamentação, em especial do primeiro filho, é cercada de novidades. Muitas!!!! Começa com a pega correta do bebê ao seio da mãe, e vai até a influência dos hábitos maternos na alimentação do recém-nascido.

Produzir leite para alimentar nosso filho requer três pontos fundamentais em dia: dencanso (por mais que seja praticamente impossível), hidratação e alimentação (energia para repor o que é gasto pela mãe e ainda produzir leite). É sobre um desses aspectos que vamos falar aqui agora, a nutrição da mãe!

Vejam os alimentos que devem ser consumidos nessa fase:

1. Frutas frescas
Principalmente as cítricas que são mais ricas em vitamina C, e ajudam a hidratar além de alimentar.

2. Água de coco
Excelente alimento para produção do leite materno, além de ser rico em calorias.

3. Água mineral sem gás
Alimento número um na boa hidratação garantindo a produção do leite materno.

4. Arroz e pães integrais
Fontes de carboidrato o que significa energia, e o fato de serem integrais ajudam no funcionamento intestinal da mãe.

5. Verduras refogadas
São ótimas fontes de ferro, ácido fólico alimentos super importantes para a mãe e o bebê.

6. Legumes variados
Ótima qualidade e quantidade de minerais, fibras de fácil digestão e energia.

7. Carnes, ovos e peixes
Fontes de proteína animal, componente fundamental do leite materno que contém também anticorpos (sintetizados a partir de proteínas).

 

Alimentos que devem ser evitados:

1. Temperos prontos
São uma bomba de sódio, porque sua base não é o sal comum e sim realçadores de sabor como o glutamato monossódico.

2. Verduras cruas
Muitas pessoas se queixam de aumento de gases e aumento das cólicas do bebê após o consumo de folhas. O melhor a fazer é observar como você e seu filho se sentem após uma refeição com salada verde por exemplo.

3. Refrigerantes
Além da quantidade de açúcar, sódio e gás, os componentes que restam não são aproveitados em absolutamente nada para o bebê muito menos para a mãe!

4. Café
Dependendo do caso, e da gravidez, um pequeno café passado caseiro pode ser tomado diluído no leite, mas o melhor é evitar, principalmente os expressos que não devem ser consumidos por gestantes em hipótese alguma. Se estiver sentindo muita falta do cefezinho, procure uma versão descafeinada (sem solventes, somente em água).

5. Chocolates
Pela mesma razão do café deve ser um alimento evitado. Em primeiro porque o mais saudável é o mais rico em cafeína (com mais cacau), o que a gestante deve passar longe. Em segundo porque os com menor teor de cacau e consequentemente menos cafeína, são os mais ricos em gordura, e toda mamãe quer voltar logo para o seu peso!

6. Embutidos e processados
Teor de sódio muito elevado, além de outros componentes nada nutritivos.

7. Alimentos derivados do leite
Devem ser consumidos com moderação, e não como a base da alimentação diária! A proteína do leite de vaca assim como o açúcar dele, a lactose, são algumas das principais causas do aumento das cólicas do recém nascido, devendo ser avaliado pela mãe, pediatra ou nutricionista se é um alimento problema nessa fase de vida de cada mãe.

8. Feijões e leguminosas em geral
São excelente fonte de proteína vegetal, mas a quantidade de enxofre e a presença de alguns tipos de ácidos aumentam muito a produção de gases, tanto na mãe quanto no bebê. Avaliar a digestão para determinar se deve evitar ou não.

Muitas pessoas perguntam sobre de que forma alimentos com milho podem contribuir nesse período, a verdade é que são muito ricos em carboidrato, e o que a mulher mais precisa nesse momento é de energia, por isso eles acabam favorecendo. Um alimento peça chave na produção do leite, e também o mais fundamentado é a alfafa. Ela é muito usada em cápsulas porque o extrato é muito mais potente que o broto em si pela quantidade que se consegue ingerir dos brotos em um dia.

O mais importante é lembrar que cada indivíduo é único, esse é o preceito da nutrição funcional, e é o que determina que cada pessoa deve ser enxergada e avaliada de acordo com as suas necessidades específicas. O que é bom para um pode não ser para o outro e vice-versa! Não existe regra quando se trata do ser humano.

 

Nara Corona é nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pela Unicsul /VP Consultoria Nutricional – Divisão de Ensino e Pesquisa São Paulo, é sócia da Consultoria Nutricional Nara&Duda Alimentação Inteligente, administra a fanpage Nara&Duda, atende em seu consultório no Leblon e na Barra da Tijuca, no RJ.
Contatos: naracorona@globo.com naraedudanut@gmail.com Tel: (21) 98836-1994 / 2492-3360 fb: Nara&Duda

05.08.2014

11 Acessórios para a Amamentação

Bebês, Cuidados Diários

Como estamos na Semana Mundial da Amamentação, comemorada em mais de 120 países todos os anos, fizemos um post especial com os principais acessórios que fazem parte dessa fase emocionante.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o aleitamento materno deve ser exclusivo nos 6 primeiros meses de vida do bebê. Amamentar é a melhor coisa da vida, embora muitas vezes não seja nada fácil para algumas mães, né… Por isso, queremos saber: Como foi ou está sendo esse momento da amamentação pra vocês? Prazeroso ou complicado? Escrevam nos comentários e vamos compartilhar experiências e acessórios úteis para essa fase! ;-)

Vejam a seleção que fizemos com os 11 principais acessórios para a amamentação:

1) Bombinha de tirar leite – Estimular a produção de leite ou para armazenar, podem ser manuais ou elétricos.

amamentação4
2) Conchas – Proteger, preparar os seios e ainda coletar o leite que vaza sem sujar a sua roupa.

amamentaçao3

3) Sutiã de amamentação – Sustentar os seios, que ficam maiores na amamentação, e facilitar a abertura frontal.

amamentação2
4) Camisa de botão – Facilitar a abertura frontal na hora de amamentar.

amamentaçao5
5) Pomadas – Hidratar e evitar as rachaduras nos seios.

amamentação
6) Discos absorventes – Absorver o excesso de leite materno.

amamentacao6
7) Poltrona confortável – Mãe e filho ficam mais confortáveis e deixa o momento mais prazeroso.

amamentaçao7
8) Almofada especial para amamentação – Ajuda a apoiar o bebê da forma correta.

amamentacao7
9) Potinhos – Para conservar o leite materno no congelador ou geladeira.

amamentaçao9
10) Compressa anestésicas 3 em 1- Compressa fria indicada para aliviar o ingurgitamento materno; compressa quente para alivias mastites e dutos obstruídos; compressa morna para ajudar na descida do leite e reduzir tempo de bombeamento ao tirar leite com bomba.

 

lansinoh_compressa

 

 

11)  Sol –  Tomar sol nos mamilos é ótimo para preparar os seios, antes das dez da manhã e depois das quatro da tarde, por volta de 20 minutos.

amamentacao10

Page 4 of 512345