19.01.2017

Enxoval do bebê: Veja a lista completa com tudo o que você precisa comprar

Enxoval, To Grávida

Está perdida sem saber a quantidade de roupas pra comprar no enxoval do seu filho? Como vocês sempre pedem pra gente uma ideia de quantidade, montamos uma tabelinha linda e completa para ajudar vocês.

Clique na imagem, baixe e imprima!

Lembrando que essa tabelinha considera um bebê nascendo no verão, é preciso levar em conta as estações do ano e o clima da cidade onde você mora.

Façam também os ajustes de acordo com os gastos que você pode ter, mas essa é uma ótima lista de enxoval para servir como referência de itens e quantidades sem exageros.

Já fizemos um outro post com um checklist completo de todos os outros itens do enxoval, quem não viu? Acessem aqui e imprimam também!

lista enxoval bebe comprar roupas

 

ou salve direto a imagem abaixo:

lista-enxoval-bebe-cheguei-ao-mundo-quantidades (1)

01.11.2016

Bebê que dorme no quarto dos pais tem menor risco de morte

Bebês, Saúde

baby in her crib

Seu bebê dorme no quarto com você ou no quartinho dele?

A Academia Americana de Pediatria recomendou recentemente que recém-nascidos devem dormir no mesmo quarto que seus pais, mas em seu próprio berço.

O alerta é para reduzir os riscos de mortalidade relacionados com o período de sono, como a síndrome da morte súbita do lactente (SMSL).

Segundo as novas recomendações, com essa prática, o risco de morte cai pela metade. Por isso, pelo menos durante os seis primeiros meses de vida e, se possível, até o bebê completar um ano de idade deve dormir no mesmo quarto, mas num berço próprio, pertinho da cama dos pais.

O relatório da AAP recomenda ainda deitar os bebês de barriga para cima em uma superfície firme no berço, coberta com um lençol esticado, sem cobertores, travesseiros ou bichos de pelúcia que possam cobrí-los e gerar super aquecimento. Estudos mostram que objetos moles são perigosos inclusive para os bebês maiores de quatro meses. E que colocar o bebê para dormir com a barriga para cima reduziu 53% a mortalidade por morte súbita entre 1992 e 2001.

03.10.2016

Icterícia em bebês: Saiba o que é, os riscos e como tratar

Bebês, Cuidados Diários

Já ouviu falar em Icterícia? Essa doença de nome esquisito é muito comum em recém-nascidos e deixa muitas mães assustadas quando descobrem.

Logo nos primeiros dias de vida, cerca de 60% dos bebês que nascem saudáveis (e no tempo certo) e 80% dos recém-nascidos prematuros apresentam um tom amarelo-alaranjado na pele e nos olhos. É a chamada Icterícia neonatal, uma doença benigna que não apresenta maiores riscos desde que identificada e tratada precocemente. Se isso acontecer, a primeira medida é não se apavorar e falar com o seu pediatra.

Como a Icterícia é um assunto que sempre recebemos muitas dúvidas aqui no blog, a nossa parceira pediatra Dra. Danielle Negri preparou esse post super importante explicando tudo. Confiram!

ictericia

A Icterícia aparece devido ao rompimento de células vermelhas no sangue que liberam a hemoglobina. Essa hemoglobina irá se transformar em bilirrubina. A bilirrubina é transportada e metabolizada no fígado para em seguida ser excretada nas fezes e na urina. Quando esse processo não ocorre adequadamente, o acúmulo de bilirrubina no sangue deixa a pele amarelada.

Na grande maioria dos casos, a icterícia desaparece espontaneamente. Após os três primeiros dias de vida o leite desce, o bebê passa a mamar um maior volume desse leite que antes era só colostro e, portanto, menor quantidade e, com isso, passa também a excretar com maior frequência a bilirrubina diminuindo, assim, os níveis sanguíneos.

A icterícia aparece em torno do segundo a terceiro dia de vida e pode durar de sete a dez dias. No caso dos prematuros, esses níveis podem ser mais altos e prolongados.

Existem causas mais sérias e mais importantes de icterícia como incompatibilidade Rh, doenças congênitas metabólicas e infecciosas e infecção urinária. Contudo, essas formas são mais raras e o aparecimento é mais tardio. Quando elas surgem, deve-se fazer uma investigação diagnóstica mais detalhada para tratamento precoce o que melhora muito o prognóstico da doença.

O diagnóstico inicial da icterícia é clínico. Ela progride de forma crânio-caudal, ou seja, se inicia na cabeça e vai descendo para os pés. Quando o bebê fica muito ictérico, porém, é necessária a leitura da bilirrubina com o bilirrubinômetro transcutâneo, um equipamento que, colocado na testa da criança, faz a leitura do nível de bilirrubina sem a necessidade de coleta de sangue. Todavia, vale ressaltar que somente pelo sangue é possível determinar com exatidão o nível de bilirrubina.

Quando os níveis estão abaixo do valor mínimo para tratamento hospitalar com fototerapia, orienta-se o banho de sol em casa só de fralda por 15 minutinhos. Porém, se o médico considerar que a icterícia não vai desaparecer espontaneamente, existe a possibilidade da fototerapia, o popular banho de luz. O bebê fica internado na maternidade e é colocado num berço sob lâmpadas especiais que irão alterar a molécula de bilirrubina ajudando a diluir e eliminar o pigmento pelas fezes e pela urina. O tempo de fototerapia depende no grau de icterícia e nível de bilirrubina no sangue. Mas em geral, dura um ou dois dias.

O processo não muda a rotina de amamentação e de cuidados com o bebê. Entretanto pode acontecer de a mãe ter alta da maternidade antes do filho, o que geralmente causa angústia e expectativa. É um processo difícil, mas necessário porque, apesar de ser uma circunstância muito simples, se não for bem cuidada, a icterícia pode se agravar e causar sérios danos, como impregnar o sistema nervoso central e causar uma encefalopatia. Além disso, no futuro a criança pode vir a sofrer de algumas complicações, como anemia falciforme. Por isso, é fundamental que o bebê continue a ter o acompanhamento médico mesmo depois de ir para casa.

 

Dra. Danielle Negri é Pediatra/Neonatologista – Médica Supervisora UTI Neonatal Perinatal Barra
Consultório – (21) 2512-8409
daninegri@perinatal.com.br – www.daniellenegri.com.br

Page 2 of 812345