14.03.2016

“Mães Que Fazem!” com Beatriz de Andrade

Mães Que Fazem!, Mamães & Papais

Hoje tem post novo na coluna “Mães que Fazem”, que conta histórias legais de mulheres empreendedoras. Para participar mais do dia a dia da filha, ter mais flexibilidade de horários e acompanhar o desenvolvimento dela de perto, a empresária e leitora do blog, Beatriz de Andrade, decidiu abrir um e-commerce infantil diferente, focado em roupinhas adaptadas para bebês usuários do suspensório de Pavlik.

A ideia da empresa surgiu assim que a filha Helena nasceu com Displasia do Desenvolvimento do Quadril (DDQ), uma instabilidade da articulação do quadril. Durante o tratamento, a filha precisava usar o suspensório por 2 meses, 24 horas por dia!! Foi então que Beatriz percebeu a dificuldade que era para encontrar roupas que a vestissem bem e decidiu abrir sua empresa. Uma ideia empreendedora muito importante para ajudar outras crianças com o mesmo problema!

Vejam o papo que tivemos com a Beatriz sobre maternidade e dicas de empreendedorismo!

maes que fazem_empreender_cheguei ao mundo

PROFISSÃO

Qual era a sua atividade profissional antes de decidir ter o seu próprio negócio?

Antes de abrir meu próprio negócio eu trabalhava na área de e-commerce de uma empresa multinacional de cosméticos.

MUDANÇA

Como a maternidade te inspirou a mudar?

A maternidade mudou as minhas prioridades e me fez pensar em diferentes formas de mudar a minha rotina para conseguir me dedicar mais a minha família.

EMPRESA

E como surgiu a ideia da sua empresa?

Por ter permanecido na posição pélvica (sentada) durante toda gestação, minha filha apresentou Displasia do Desenvolvimento do Quadril (DDQ) ao nascer. Trata-se de uma instabilidade ou frouxidão da articulação do quadril. Quando descoberta nos primeiros meses de vida do bebê, a DDQ pode ser tratada e até sanada com o uso de um suspensório ortopédico. Se não diagnosticada rapidamente o tratamento torna-se mais invasivo, com necessidade de cirurgia e imobilização do quadril por cerca de 3 meses. Se não tratada, a DDQ pode ter graves consequências. Dificuldade para andar, dores, entre outros.

Para tratar a DDQ a minha filha, Helena, usou o suspensório de pavlik por 2 meses, 24 horas por dia! Esse suspensório mantém as pernas do bebê abertas, para que ocorra o encaixe do quadril.

Durante o tratamento da Helena eu tive muita dificuldade em encontrar roupas que a vestissem bem, sem forçar o fechamento de suas pernas.

Foi então que surgiu a ideia de lançar a “Turma da Lelê” – a primeira loja online brasileira especializada em roupas e acessórios para bebês com suspensório de pavlik. As roupas são adaptadas para dar mais mobilidade e conforto aos bebês em tratamento.

Você se baseou em algum modelo inspirador para montar o seu negócio?

Sim. Pesquisando na internet descobri lojas online da Austrália e Reino Unido que faziam roupas para bebês com displasia de quadril.
Me inspirei nessas lojas para abrir meu negócio.

DESAFIOS

Quais foram os principais desafios para montar o novo negócio e quais são os principais desafios da administração dele atualmente?

Entre os principais desafios estava: buscar parceiros que me ajudassem a desenvolver e confeccionar produtos adaptados (com modelagem diferenciada) e garantir que esses produtos atenderiam as necessidades do meu público. Para isso fiz algumas pesquisas com mães de bebês em tratamento, o que me ajudou muito.

Atualmente meu desafio principal é o de administrar, organizar e controlar todas as áreas da empresa. Principalmente a financeira.

Como sou formada em Marketing, acabo me dedicando mais as atividades relacionadas a venda, comunicação e desenvolvimento de novos produtos. Um ótimo desafio para que eu me torne uma profissional mais completa e multifuncional.

LADO BOM

O que acha que mais valeu a pena nessa mudança profissional?

Além poder passar mais tempo com a minha filha, o que me deixa muito satisfeita, ver esse projeto concretizado é um grande alegria.

Hoje converso muito com outras mães. Trocamos experiências e dividimos um pouco dos receios, medos e alegrias. O retorno de que meu trabalho ajuda essas mães a passarem por essa fase de forma mais tranquila é uma grande recompensa e faz tudo valer a pena!

ROTINA

Como é a sua rotina de empreendedora e mãe? Você trabalha em casa ou fora?

Trabalho em casa. Enquanto minha filha está na escola, período da manhã e início da tarde, me dedico ao meu negócio. Depois de buscar minha filha na escola, sou mãe em tempo integral!

DICA

O que você diria para as mães que estão pensando em empreender como foco em vendas online? Tem algum conselho?

Faça algo que você goste e acredite. Converse com outras mães empreendedoras, troque experiências, estude seu negócio e como se inserir no mundo digital. Organize seu tempo para dar conta de tudo e conseguir se dedicar aos seus filhos. Siga, nas mídias sociais, empresas com perfil semelhantes ao da empresa que você quer abrir. Dedique-se e trabalhe bastante no seu empreendimento. Tenha expectativas e metas claras, para você saber se está no caminho certo ou não. Alguns meses serão bons, outros nem tanto, não desanime! Tenha foco e determinação para conquistar seus objetivos, coragem para abrir mão de certas coisas e sabedoria para avaliar suas decisões.