12.02.2015

Não me pergunte mais “Como foi na escola hoje?”

Educação dos Pequenos, Mamães & Papais

 

“Filho, como foi na escola hoje?” Com certeza toda mãe aqui já fez essa pergunta para o seu filho na volta da aula, certo? O problema é que praticamente 100% das vezes a resposta que recebemos é apenas um “foi legal”, “tudo bem”, “foi boa”…. NADA além disso, não é verdade?!? kkk

Passeando por alguns sites encontramos esse texto super legal no Update or Dieescrito por Wagner Brenner. Ele listou 20 alternativas ótimas para trocar essa pergunta tradicional – e que praticamente nuuunca tem uma resposta boa-  por outras que funcionam!! kkk Demais!! Dicas ótimas para aumentar a interação com nossos filhos!

E vocês? Queremos saber que táticas usam!!! rs

Mother and child in car

Não pergunte mais “E aí… como foi na escola hoje?”

Eu sei, você é uma pessoa legal, quer puxar conversa e acredito até que esteja genuinamente curioso para saber como foi o dia na escola.

Mas eu sei o que acontece depois. Quer apostar?

Depois que você pergunta, a resposta que você recebe é: “tudo bem”. Ou “legal”. Eu já recebi até um “an-hã” uma vez, que nem faz sentido.

É simplesmente uma pergunta que não funciona. Bate-e-volta.

Mas como eu sei que você quer aproveitar esse momento para ter uns bons minutos de papo e, talvez, acompanhar um pouco da rotina deles para saber se está tudo certo, aqui vão algumas alternativas para você usar no lugar do CFNEH?

Vamos lá:

20 alternativas para trocar a pergunta vaga por outra que funciona:

1.  Qual foi a coisa mais legal* que aconteceu hoje na escola? (*bizarra, *chata, *barulhenta, *etc)

2.  Conta aí uma coisa que fez você dar risada hoje.

3.  Se você pudesse escolher, quem você colocava sentado ao seu lado? Por que? (ou jamais colocaria do seu lado?)

4.  Qual é o lugar mais descolado da escola?

5.  Qual foi a maior absurdíce que você ouviu alguém falando hoje? (sim, pode inventar umas palavras)

6.  Se eu encontrasse com a sua professora no supermercado e perguntasse sobre você, o que será que ela ia dizer?

7.  Você ajudou alguém hoje?

8.  Se a gente fosse fazer um vídeo dos Vingadores na sua classe, quem a gente colocava como o Hulk? (e vai mudando o personagem)

9.  Me ensina alguma coisa que te ensinaram hoje? ( e vai dando de burrão, vai falando “como assim?”, “que demais! Me explica melhor vai”, etc)

(essa sempre foi minha preferida. Acho que até hoje meu filho me acha o maior ignorante do mundo)

10.  Qual foi a parte mais bacana do dia, que você ficou mais feliz?

11.  Teve alguma hora que você virou uma gelatina de tanto tédio?

12.  Se aparecesse um disco voador para sequestrar alguém, pra quem você apontava?

13.  Com quem você gostaria de brincar no recreio mas nunca brincou?

14.  Me conta uma coisa bem bem boa que aconteceu hoje.

15.  Qual você acha que é a palavra preferida da sua professora? Uma que ela vive falando?

16.  Se você ganhasse a escola de presente e virasse o dono de tudo, o que você faria?

17.  E o que você ia cancelar do que tem hoje? tem alguma coisa?

18.  Quem é a pessoa mais engraçada da sua classe? Me conta uma palhaçada que ela fez hoje.

19. Se você fosse convidado para ser o professor amanhã, durante o dia inteiro, o que você faria?

20. De todos os que estão lá dentro do seu estojo, quem é que trabalha mais? Por quê?

Enfim, não é nada científico, nem nada assim. É só uma dica bem prática para conseguir conversar e ao mesmo tempo acompanhar a rotina dos pequenos. O truque é fazer perguntas disfarçadas, cheias de fantasias e chegando pelas beradas.

Na verdade, quanto menos perguntar melhor, só comece o assunto e pronto. Nunca um tiro direto como o “CFNEH?”, porque elas percebem que você tá xeretando, desde pequenininhas. E te colocam pra correr com um “foi legal” e pumba, acabou com a sua chance de conversar sobre a escola. Você coloca um disco voador na pergunta e ela acaba respondendo muito mais do que você imagina (preste atenção nas entre-linhas das respostas).

O confinamento forçado dentro do carro é uma benção. Aproveite-o com sabedoria e diversão.

 

Fonte: Update or Dieescrito por Wagner Brenner

28.11.2013

A Importância da Participação do Pais

Educação dos Pequenos, Mamães & Papais, Na Web

Nesta semana o programa “Encontro com Fátima Bernardes” visitou a Creche-escola Criativa, no Rio de Janeiro, para conversar com algumas mães e com a psicopedagoga –  e parceira do blog –  Heloisa Erlanger, sobre a participação dos pais na rotina das crianças.

Sem título
Clique na imagem e assista!

Uma pesquisa da Secretaria da Educação do Estado de SP, divulgada neste mês, apontou que sete em cada dez pais participam da vida escolar dos filhos. O objetivo da pesquisa foi detectar o acompanhamento dos responsáveis na lição de casa de alunos de escolas estaduais de São Paulo.

A mãe foi apontada como a mais participativa nas tarefas (61%) e o levantamento mostra ainda que um em cada três estudantes conta com o apoio dos pais na hora do dever (33,9%).

Em duas entrevistas que fizemos para o “Papais Famosos” aqui no blog Cheguei ao Mundo nossos entrevistados falaram sobre esse assunto. Veja:

O ator Ricardo Pereira respondeu à pergunta: Qual é o seu programa/momento favorito com o filho Vicente? “Acho que todos porque eu sou um pai muito presente e fico babando a cada passo que ele dá, mas sem dúvida eu acho que a hora do banho que quase sempre ele toma banho comigo. Essa é a nossa farra, brincamos, cantamos e rimos muito!!!!”

E na entrevista com a atriz Taís Araújo, ela respondeu à pergunta: Como é o Lázaro no papel de pai? “Sensacional! Ajuda muito, ajuda não! Divide mesmo! Demais!”

E na sua casa? Como é essa divisão? Os dois são presentes no dia a dia dos filhos?

O ideal é que um complemente o outro, dividindo as responsabilidades, sem sobrecarregar ninguém! ;-)

 

30.09.2013

Creche: Como escolher a melhor para o meu filho?

Educação dos Pequenos, Mamães & Papais

three little girls and female teacher in kindergarten

Escolher uma creche para o seu filho é uma super missão – daquelas que parecem impossíveis! A licença maternidade vai acabando, a angústia de ter que se separar do seu bebê vai aumentando, mas é preciso seguir firme nessa busca.

O primeiro passo é fazer uma pesquisa sobre as opções que estão dentro do seu orçamento. Depois, visite as creches selecionadas para avaliar qual oferece mais confiança para você e segurança para o seu bebê.

Conversamos com a coordenadora pedagógica Heloisa Erlanger e listamos os principais pontos que você deve ficar de olho. Confira:

Proximidade com a sua casa ou trabalho
Ficar com uma criança horas dentro do carro pode ser um stress. E se você precisar buscar seu filho com urgência por algum imprevisto? Não pense duas vezes: escolha uma creche de fácil acesso, perto do trabalho ou da sua casa.

Equipe
Os principais profissionais de uma creche são: Orientadora Pedagógica, Educadoras, Médica Pediatra, Nutricionista, Lactarista, Psicomotricista, Professores em geral (música e inglês) e Auxiliar de enfermagem.

Estrutura da creche
A creche precisa ser arejada, clara e limpa. Nos berçários, veja se há um berço para cada criança, observe os cuidados com a higiene e a limpeza da cozinha. Veja como são as áreas abertas para brincar e se os espaços dos bebês são separados das crianças maiores. A cozinha também deve ter uma área diferente para a preparação dos alimentos dos bebês.

Segurança do espaço
Essa é a hora de ser meio neurótica mesmo! Todas as janelas precisam ter redes ou grades. O espaço deve ter piso antiderrapante, extintor, quinas e tomadas protegidas, além de produtos de limpeza e objetos perigosos guardados em local de difícil acesso para crianças.

Projeto pedagógico
Qual é a proposta pedagógica da creche? Se informe sobre que atividades educativas são oferecidas, como: coordenação, música, percepção, artes e histórias. Tudo isso deve ser desenvolvido através de brincadeiras que estimulam a socialização da criança.
Confira também se há acompanhamento da aprendizagem com avaliações e de quanto em quanto tempo são realizadas as reuniões de pais.

Adaptação
A creche deve permitir que você acompanhe seu filho nos primeiros dias. De forma gradativa, você e seu filho conhecem a creche e passam algumas horas juntos no espaço durante 1 semana, até que ele se sinta seguro para ficar no horário normal sem a sua presença.

Esse é um momento muito importante para as mamães e crianças. Estar 100% segura é fundamental!!!

Page 3 of 3123