08.03.2017

Por que fazer um ensaio fotográfico com seu filho?

Mamães & Papais, registros especiais

Você tem vontade de fazer um ensaio fotográfico, mas acha que não levaria jeito na frente das câmeras? Então esse post é pra você!

Depois que viramos mães é impressionante a quantidade de fotos que tiramos dos nossos pequenos… deles com o pai, com os avós, com os tios… uma mais linda que a outra, né?! Mas e NOSSA foto com eles? Quem tira? Ninguém kkkkk

Pensando nisso, a fotógrafa Tathiana Novaes, da Daydream Fotografia, decidiu fazer ensaios fotográficos em que a mulher possa ter um momento seu especial e linda (afinal, quem não ama se produzir!). E ainda garante registros incríveis com seu filho.

Para tentar ajudar quem está insegura nessa decisão de fazer ou não um ensaio, fizemos uma entrevista com a Tathiana aqui no blog. Vejam que fotos lindas e aproveitem que em abril ela, que mora nos EUA, estará aqui no Brasil!!

ensaio materndiade12

Você tem muitos trabalhos com fotografias lindas e criativas de mãe e filho. Teve alguma motivação para começar a fazer esses ensaios?

Olhando as fotos dos primeiros anos do meu filho, eu percebi que tinha uma quantidade infinita de imagens. Com certeza nada passou despercebido, os primeiros passos, cada risinho, cada tombo, o primeiro Halloween, primeira turminha da creche… Estava tudo lá.  Só faltava um detalhe: Eu! Kkk Cadê a mãe da criança?Essa mania de documentar tudo é ótima, pena que eu nunca estava nas fotos! No pequeno grupo de fotos que eu aparecia eu estava descabelada e de chinelo, ou nas que eu estava mais arrumadinha, estavam fora de foco, e com certeza foram tiradas de mal humor… Uma beleza!

fernanda-rodrigues_maternidade_gravida_bebe_newborn9-600x667

fernanda-rodrigues_maternidade_gravida_bebe_newborn6-600x673

ensaio maternidade filho1_o

ensaio maternidade 12

Qual é a importância de registrar momentos pra você?

Sabe aquele dia que você tira para organizar fotos de família?  Você chama a sua irmã, ela vem com o plano perfeito, caixas, álbuns etc…..Vocês começam cheia de energia e 3 horas depois estão  cercadas de fotos por todos os lados, lembrando de momentos que já tinham esquecido:  suas escolhas duvidosas nos anos 80, a elegância dos seus avós, aquela foto do seu filho com o bisavô que já não pode ser mais repetida.

É nesse momento que você reconhece o poder de uma imagem. O valor de uma foto.  O desejo de passar para o meu filho a possibilidade de ter esse momento, de passar essa experiência para os meus netos, virou a minha missão.

ensaio maternidade 11

ensaio materndiade 17

As mulheres são super produzidas e valorizadas nos seus ensaios. Como é esse processo?

Eu quero que elas existam em fotos. Para ela, para a família, para as futuras gerações. Eu quero que ela tire um dia para ser fotografada por mim. Eu sou mãe, tenho as mesmas inseguranças e conflitos que a maioria das mulheres.

ensaio maternidade5

ensaio maternidade 6

ensaio materndiade4

E como deixar à vontade mulheres que nunca foram fotografadas por profissionais?

Pode ter certeza que ela vai ficar à vontade. Não tem que saber posar, esse é o meu trabalho. Eu não acredito em fotogenia. Acredito na combinação de ângulos, luz, sombras e a individualidade de cada mulher. Some isso tudo com make up  e produção, e todo mundo pode ter um resultado de capa de revista. “Me dê algumas horas e eu te entrego a sua melhor versão”.

ensaio maternidade 20

ensaio maternidade 19

Como é a escolha das roupas que serão usadas no ensaio? Você ajuda no figurino e na produção de maquiagem e cabelo também?

Tenho uma equipe incrível. A Luciana Genial, minha produtora, vai comigo conhecer a nossa futura modelo. Trocamos idéias, expectativas, invadimos o armário dela, juntamos com roupas do nosso arquivo.  Depois desse encontro é que o ensaio começa a tomar  forma.  A Lu conhece o meu gosto e todas as minhas implicâncias,  é a pessoa perfeita para juntar esse quebra cabeça.

Para finalizar entra a Priscila Lima, nossa maquiadora extraordinária.  Ela é tão essencial que quando vou para o Brasil faço o meu horário baseado no dela primeiro.  Ela transforma a nossa visão e qualquer ideia em realidade. Você pode ver a beleza e diversidade do trabalho impecável dela nos meus ensaios.

Eu me sinto privilegiada de ter esse time que está comigo desde o começo e que compartilha a minha missão com tanto amor.

ensaio maternidade 8

ensaio maternidade 9 (2)

ensaio materndiade14

ensaio maternidade 9

ensaio materndiade 16

Acima a fotógrafa Tathiana Novaes e abaixo sua equipe com a maquiadora Priscila Lima e a produtora Luciana Genial em ação.

ensaio maternidade13

06.03.2017

Ligeiramente Grávida – Kika (Promovida a mãe)

Ligeiramente Grávida, To Grávida

Hoje no “Ligeiramente Grávida” tem o relato da Kika. Ela é mãe da Laurinha e da Luisa e escreve para o blog Promovida a Mãe.

A Kika amou ficar grávida e topou dividir com a gente um pouco mais sobre as suas experiências em cada gravidez e como é ser mãe de duas meninas. Confiram!

kika_promovidaamae2

Oie! Sou a Kika do Blog Promovida a Mãe. Sou mãe de duas lindas princesas, a Laura hoje com 7 anos de muita travessura e a Luísa de 3 anos de grande vivacidade e inteligência.

Falar de gravidez é algo que me fascina! Como amei estar grávida e ser promovida a mãe…Sentia-me plena, bonita e poderosa gerando uma nova vida! Morro de saudades dos chutes, soluços e piruetas e não é incomum me pegar sonhando acordada com esse período!

Assim como cada filho é único, achei que as duas gestações foram únicas também! Cada uma teve a sua magia, porém foram 9 meses bem distintos… A segunda gravidez veio após um pouco mais de 3 anos do nascimento da minha primeira filha. Precisei desse tempo para realmente acreditar que poderia e deveria ser mãe novamente, pois passamos um susto com a nossa primogênita, no qual me marcou profundamente. Antes da Luísa chegar sofri um aborto espontâneo, outra marca profunda para mim e para todas as mulheres que vivenciam esse tipo de experiência! Mas como tudo na vida passa, viramos essa página e persistimos nos nossos sonhos! A nossa Luísa foi muito desejada e amada, outro presente que recebi em minha vida!

Na minha primeira gravidez, passei muito mal nos 3 primeiros meses. Já aconteceu de ter de parar o carro no meio da rua para… Vocês me entendem né? Rsrs. Porém foi uma gestação tranquila do começo ao fim. Trabalhei quase até o final da gestação, mas também tive muito tempo para curtir cada segundo. Como mãe de primeira viagem, pesquisei e li muito sobre a maternidade…

Já na segunda gravidez o inicio foi maravilhoso, mas, com 30 semanas de gestação, perdi o meu tampão mucoso e tive que encarar um repouso absoluto por 8 semanas. Esse período foi extremamente difícil, pois, já tinha a Laurinha que me demandava muita atenção! A “culpa” foi um sentimento que surgiu na segunda gestação. Pelo fato de já ter vivenciado uma gravidez, associado ao fato de ter uma criança que me tomava todo o tempo e as tarefas do dia a dia, não sobrava muito tempo para “curtir” a barriga. Lembro que na gravidez da Laurinha conseguia acariciar, cantar e me conectar mais com a barrigona! Mas como toda mãe carrega culpa, hoje entendo que isto é perfeitamente aceitável!

A decisão de ter o segundo filho foi uma das melhores da minha vida! As duas me completam, se completam e tornam a minha família, a mais feliz do mundo! Agradeço todos os dias pela oportunidade e o privilégio de ser mãe de duas meninas tão maravilhosas!

kika_promovidaamae

30.01.2017

Ligeiramente Grávida – Fefa (Promovida a Mãe)

Ligeiramente Grávida, To Grávida

No Ligeiramente Grávida de hoje recebemos a Fefa, mãe do Rafael, do Felipe e uma das editoras do blog Promovida a Mãe. Ela sempre sonhou em ser mãe e teve filhos com diferença de menos de 2 anos.

A Fefa dividiu conosco as principais mudanças que sentiu durante cada gravidez e pós parto. Confiram que lindo texto!

fefa_promovidaamae2

Olá. Meu nome é Fernanda, mas podem me chamar de Fefa. Sou uma das editoras do blog Promovida a Mãe e hoje vou contar para vocês um pouco sobre minha experiência com a maternidade.

Eu sempre sonhei em ser mãe… Quem me conhece sabe que, casando ou não, eu seria mãe de todo jeito!

Casei, e o sonho só ficou mais forte. Após um ano e meio de união engravidei do meu primeiro filho, o Rafael. Demorei quatro “eternos meses” para ficar grávida e quando o exame positivo veio foi o momento mais feliz e anestesiante da minha vida. Poxa, meu maior sonho ia finalmente se realizar. E agora? Agora vou curtir cada segundo! Fui uma grávida muito zen. A TPM foi embora, a calmaria se instalou no meu dia a dia e uma paz tomou conta de mim. Que felicidade. Que momento único.

Certo dia, ao final da gravidez, lembro-me bem de ter ido até a missa, ajoelhei-me e rezei para que meu filho chegasse com saúde. Agradeci com todo meu coração pela graça de poder gerar uma vida. Lágrimas escorriam pelo meu rosto e desciam até um largo sorriso de felicidade. Enquanto acariciava e olhava minha barriga, falei com meu bebê o quanto eu o amava e o agradeci por tê-lo em minha vida. Estava pronta para recebê-lo… E ele chegou, já no dia seguinte, dando um grande susto após um exame de rotina do pré-natal.

O início foi um sufoco. Eu que achava que ia tirar tudo de letra, tive muita dificuldade na amamentação, na adaptação da nova rotina e com a cólica exacerbada do Rafa. Por fim, sem conseguir perceber, fiquei deprimida. Achava que toda aquela dificuldade inicial era comum. Que era normal passar horas e dias sem vontade de tirar o pijama já que tinha madrugado noites a fio. Mesmo minha mãe alertando que eu não escutava ninguém, que precisava ter mais calma e tentar levar as coisas de uma forma mais leve, eu não me permitia…

Mas eu precisava perceber mais, entender mais. A maternidade é um imenso aprendizado!

Quando o primogênito tinha um ano e um mês, a rotina já estava mais tranquila e fiquei grávida do Felipe. A gestação voou! Aquele monte de foto da barriga, dos detalhes do quarto, do enxoval já não faziam parte do meu arquivo pessoal. A caminhada no parque, a yoga para ajudar no momento do parto não foram rotina. Eu tinha um pequeno pra cuidar, brincar e me ocupar. Comecei a me culpar pela falta de “atenção” com o bebê que estava por vir. Comecei a achar que seria injusta com ele, com minha entrega, com meu amor. Socorro! Seria possível? Claro que não!

No final de 2012 entrei em trabalho de parto e o Felipe chegou na madrugada seguinte enchendo ainda mais minha vida de amor.

Porque todo aquele sofrimento? Como eu pude achar que não amaria aquele bebê tanto quanto amo o outro? Só vivendo para entender…

É um amor que nasce, renasce e transborda. É transformador!

O Felipe chegou para mostrar como eu precisava levar a maternidade…Tudo ficou leve e do jeitinho que tem que ser.

A experiência de um filho é sensacional. E com todo esse aprendizado posso dizer que o segundo vale ainda mais, tanto para mim quanto para eles.

Pelo amor multiplicado, amizade entre irmãos e diversão garantida!fefa_promovidaamae

Page 2 of 3412345