01.10.2015

Papinha do Bebê: Opção pronta com ingredientes orgânicos

Bebês, Cuidados Diários

Com a vida corrida, nem sempre é fácil preparar papinhas na hora para os nossos pequenos. E nós, como mães reais, que se desdobram em mil, precisamos nos virar para achar uma opção prática, sem ser industrializada, para a alimentação dos pequenos.

Recebemos no nosso escritório amostras para conhecer as papinhas do Empório da Papinha, marca de papinha congelada que está fazendo sucesso e sendo super bem avaliada pelas mães. Alguém aqui já conhece? Adoramos as papinhas e o cuidado deles em buscar uma técnica de congelamento que não influencia na alteração de sabor e valor nutricional dos alimentos. E o legal é que as receitas do Empório da Papinha são produzidas e desenvolvidas com ingredientes orgânicos.

Ficamos curiosas para saber mais da marca e fizemos uma entrevista com a fundadora do Empório da Papinha, a Maria Fernanda de Rizzo.

Confiram o bate papo:

papinha_bebe

Como surgiu a ideia de criar o Empório da Papinha? 

O Empório da Papinha surgiu a partir de uma necessidade minha como mãe em dar apenas refeições saudáveis com alimentos orgânicos para a minha filha. Na época, além dos cuidados com ela ainda bebê, eu trabalhava e concluía o mestrado e ao chegar em casa precisava preparar as papinhas. Percebi então que não havia no Brasil uma marca de alimentação orgânica infantil. Incentivada pelo meu marido, resolvi me aprofundar no assunto e depois de muito estudo e planejamento abri o Empório da Papinha, que começou a funcionar no começo de 2009 com uma única loja em Moema, São Paulo, onde também ficava a fábrica. Hoje já estamos em 13 estados com mais de 20 lojas.

Como as papinhas são produzidas, qual é a validade e como é a forma de congelamento/ armazenamento? 

Todas as nossas papinhas e refeições são preparadas com alimentos orgânicos. Também são aprovadas pela Anvisa e certificadas pelo IBD, além de serem feitas em cozinha industrial de acordo com as exigências técnicas do setor. Nossas refeições também não possuem conservantes pois utilizamos um processo inovador no mercado de papinhas, o ultracongelamento. Depois de prontas, as papinhas entram ainda com uma alta temperatura no ultracongelador que tem a função de baixar a temperatura em até -30ºC em no máximo duas horas. Isso garante uma validade de seis meses no congelador sem perder o sabor de comidinha caseira, a textura e os nutrientes, mesmo depois de aquecida. Importante ressaltar também que nossas embalagens são livres de bisfenol A (BPA), ou seja, podem ser aquecidas que não causam problema para a saúde.

Vocês possuem nutricionistas próprios?

Sim, temos um time de nutricionista e técnica em nutrição que acompanha toda produção, além de criar as refeições balanceadas e adequadas de acordo com cada faixa etária.

Para qual idade as papinhas são indicadas? 

Temos papinhas para bebês a partir dos seis meses onde se inicia a introdução alimentar e já é possível consumir as papinhas de frutas. Depois entre seis e oito meses o bebê pode comer as sopas creme. E de oito a 12 meses a sopas com pedaços.

Há vários tipos e sabores de papinhas?

Sim, hoje temos mais de 80 produtos no nosso portfólio entre papinhas (de frutas simples, frutas combinadas, sopa creme e sopa com pedaços), Linha Single (refeições para crianças a partir de 12 meses) e Linha Family (refeições que atendem toda a família, principalmente o pai e a mãe), além das sobremesas.

Para os pequenos que já estão comendo papinhas, vale a pena conhecer mais no site www.emporiopapinha.com.br.

 

 

*Publieditorial

02.12.2013

As Primeiras Papinhas do Bebê

Bebês, Cuidados Diários, Saúde

O momento de migrar do leite para a alimentação complementar costuma gerar muitas dúvidas entre as mamães. Recebemos alguns e-mails pedindo para falarmos mais sobre o assunto e para isso conversamos com a nutricionista Paula Costa Leite.

Confira as dicas sobre como lidar com essa fase tão importante!

iStock_000005523258XSmall

As Primeiras Papinhas do Bebê – por Paula Costa Leite

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o aleitamento materno deve ser exclusivo nos 6 primeiros meses de vida do seu bebê. Depois dos 6 meses devem ser introduzidos, gradativamente, alimentos complementares, seguros e nutricionalmente adequados. Tudo isso associado ao aleitamento materno que ainda deve ser mantido até os 2 anos de vida. Lembre-se que o leite materno é insubstituível!

Um bom começo é com frutas nos intervalos das mamadas, principalmente na forma de sucos. Os sucos serão os primeiros a serem introduzidos e deverão ser coados, ok?! Passada a fase do reflexo de expulsão, as papinhas de frutas e as hortaliças já podem entrar na alimentação do seu bebê. Elas podem ser preparadas utilizando peneira grossa ou garfo. A partir daí é introduzido o almoço e por volta de 7-8 meses se introduz o jantar. De forma gradativa pode-se aumentar a consistência, picando ou desfiando os alimentos, até chegar à alimentação da família. Os alimentos sempre devem ser oferecidos com colher.

Desta forma, aos 7-8 meses a alimentação do seu bebê já será composta de colação e/ou lanche e almoço e/ou jantar, associado ao leite materno ou fórmulas infantis.

Como ter mais sucesso na introdução de alimentos?

  • Introduza um alimento por dia, variando os grupos, assim ao final de uma semana seu bebê já terá experimentado um alimento de cada grupo. Os grupos são frutas; legumes e verduras; cereais; leguminosas e carnes.
  • Ofereça alimentos após as mamadas para que a criança fique bem alimentada. Para aqueles que continuarem recusando o alimento, pode ser oferecido antes. Esse processo deve ser feito de forma gradativa até que substitua a mamada correspondente do horário.
  • Fique atento porque a quantidade de alimentos varia de acordo com a capacidade gástrica do bebê, que pode não aceitar a mesma quantidade em todas as refeições e nem em todos os dias.
  • É importante não adicionar açúcar, temperos industrializados e nem muito sal. Dê preferência aos ingredientes frescos e aos temperos naturais (manjericão, alecrim, orégano, alho, cebola).
  • Atenção: O mel não deve ser utilizado antes de 1 ano de idade.
  • Não ofereça alimentos com calorias vazias. Ex: doces, frituras, refrigerante, balas, etc…
  • Modifique a forma de apresentação dos alimentos para evitar a monotonia e evite misturar os alimentos.
  • Clara de ovo e oleaginosas (castanhas) só devem ser introduzidos após o primeiro ano devido ao risco de alergias.

 

Sugestões de papinhas:

1)      Frango, mandioquinha, salsa, beterraba, chuchu e espinafre

2)      Inhame, musculo, escarola, chuchu e abóbora, tomilho

3)      Carne, abóbora, batata e couve, cebola refogada

4)      Carne, batata, cenoura e alface e alho poró

5)      Frango, lentilha, batata doce, beterraba, abobrinha e bertalha, alecrim

6)      Macarrão de letrinhas, carne, cenoura, molho de tomate caseiro e manjericão

Na hora de servir a papinha, acrescentar 1 colher de sobremesa de azeite extra virgem.

 

Dra. Paula Costa Leite
Nutricionista Clínica Funcional
Tel: 2220—7323 (consultório)