06.05.2015

Ligeiramente Grávida – Márcia

Ligeiramente Grávida, To Grávida

Hoje tem uma história linda e especial aqui no Blog!! A Márcia é mãe de três meninos trigêmeos e lida com uma rotina puxada por conta da distância do marido. O pai dos meninos trabalha e mora em Angola!

Num texto incrível, ela falou sobre a gravidez dos filhos João Pedro, Gabriel e Daniel, dos sustos que teve e da vida depois dos seus trigêmeos.

Aproveitamos para fazer um ensaio lindo e divertido com ela e seus meninos, registrado pela DayDream Fotografia! Vale a pena ler essa história cheia de amor, perseverança e superação.

DSC_1922-Edit

Eu e o Marcos já estávamos casados há quase 5 anos, o sonho de ser mãe não se realizava naturalmente, e o meu relógio biológico gritando! Então, depois orientação médica, decidimos fazer uma inseminação artificial para o nosso “primeiro” filho.

Conhecemos então a Dra. Maria Cecília Erthal, aquela que futuramente seria a minha Anja e futura médica.

Ocorreu que com a dosagem mínima de medicação, eu ovulei 7 vezes e então me vi em uma situação que ou parava e refaria todo o procedimento de novo com menos medicação para realizar a inseminação ou daria continuidade, sendo que o procedimento agora seria o de fertilização.

Dito e feito, segui em frente e fomos rumo á fertilização! Dos 7 óvulos, 6 conseguiram ser fertilizados e 4 estavam em perfeitas condições de serem colocados. No dia, tive a opção de colocar de 02 até todos os 4.  Resolvi colocar todos e assumir o risco de ter trigêmeos. A certeza era tanta que até uma foto foi tirada no dia e eu fiz sinal pra câmera com os 3 dedos levantados. Infelizmente essa foto se perdeu… Enfim, coloquei os 4, vingaram 3  e  hoje e em dia, sempre que eu vejo aquela bagunça normal de 3 meninos juntos, eu olho e falo para mim mesma:” É, poderiam ser quatro”.

São trigêmeos

Depois do procedimento, esperei um tempo para poder fazer o exame de sangue. O resultado foi extremamente comemorado, mas ainda precisávamos aguardar confirmação final que viria com a primeira ultra.

No dia da ultra, o médico falava: ” – Estou vendo aqui um… dois, mas espera… não… será?…levanta um pouco quadril…. é tem mais um! São 3!São 3! São 3! (parecia a narração do Galvão Bueno quando era o gol do Brasil!)”
Nessa hora eu só fazia rir, o Marcos se escorou na parede e minha mãe que estava junto começou a ligar pra família toda freneticamente dizendo: são trigêmeos, são trigêmeos!!

Assim que saímos do exame, a Dra. Maria Cecília me entregou uma caixinha e disse, esse aqui foi o primeiro bercinho deles.

A gestação e os sustos

Eu, desde então, conversava muito com eles fazendo carinho na minha barriga e dizia que eles tinham que cooperar, pois estavam num verdadeiro quitinete. Tive muito enjoo e até perdi um pouco de peso no início.

Alguns sustos ocorreram durante a gestação. Logo no começo, o primeiro foi quando estava de 3 para 4 meses de gestação e tive torção de ovário. Depois de 12 horas numa emergência morrendo de dor, sem ninguém conseguir identificar nada, chamamos a Dra. Maria Cecília. Ela e a equipe, fizeram um procedimento de vídeo-laparoscopia para descobrirem o que era, e no mesmo momento retiraram a trompa e ovário esquerdo que já estavam necrosando.

O segundo susto eu já estava com 6 meses de gestação e fiquei muito inchada, minha perna esquerda ficou enorme, nem conseguia dobrar a perna! Fiz um exame de imagem e deu que eu estava com muito edema e líquido no coração, além da minha veia cava estar sendo pressionada por um dos meus bebês e fui diagnosticada com “derrame pericárdio moderado”, poderia ocorrer tamponamento cardíaco, ou seja, uma parada cardíaca.

A médica já estava marcando para a semana seguinte o parto, detalhe no mesmo dia do casamento da minha irmã! A família numa agitação só.  Eu, era  a única calma dizendo “não vai ser agora”. Eu sabia que não iria acontecer nada demais. Não sei explicar, eu simplesmente sabia. Eu pedi para  consultar uma cardiologista e assim foi feito. Consegui monitorar tudo e até no dia do parto, fiz drenagem linfática para ajudar com os edemas e  tive acompanhamento cardiológico.

Consegui levar até as 34 semanas, ou seja, por mais 20 dias desde o dia em que a médica queria antecipar o parto.
O último susto, foi no dia do parto. Já de volta ao quarto, eu tive hemorragia forte e passei muito mal. Mais uma vez, a minha médica estava lá e me socorreu com mais duas incríveis médicas.

Mas, passado os sustos, penso que  tudo valeu muito à pena! Passaria por tudo de novo se fosse preciso.
O resultado, foram 3 meninos lindos  de nomes João Pedro, Gabriel e Daniel. Nossos trigêmeos nasceram com 41cm de altura e com pesos entre 1,90kg e 2,10kg. Ficaram 11 dias na UTI neonatal apenas para ganharem peso.

A nova rotina

Nossa vida e nossa rotina mudou radicalmente com o nascimento dos nossos “tri”. A começar pelo contingente de pessoas na nossa casa e todas as questões básicas que passam os pais de primeira viagem e ainda por cima de 3 de uma vez. Eram mais de 34 fraldas por dia, administrar uma verdadeira equipe em casa e conseguir implementar uma rotina para os três. Adotei escrever tudo em um caderno e até hoje anoto. Tudo mesmo! Alguns amigos e familiares me incentivam a escrever um livro e posso dizer que eu já tenho muiittttoooo material(risos).

Com 2 anos e meio, eles entraram na creche meio período e mais tarde, com 4 anos começaram a ficar no integral até mudarem para escola e então começaram a estudar em turmas separadas.

Hoje os meninos têm 7 anos e começamos a nova rotina de estudar para provas da escola. Pensei que eu iria enlouquecer,mas tem dado tudo certo, o saldo tem sido positivo.

Nosso trabalho e a distância

Eu empresária e iniciando como escritora de contos infantis, já trabalhava antes de engravidar com projetos educacionais para Angola fazia viagens periódicas  e meu marido,  advogado, era sócio de um escritório aqui no Brasil.

Em 2013 meu marido começou a trabalhar em Angola junto com o meu pai , que já está há 13 anos por lá. Só ano passado, Marcos precisou ficar 6 meses direto sem vir ao Brasil.

Eu, desde que comecei o tratamento não fui mais à Angola, mas faço todos os meus trabalhos de meu escritório em casa e as reuniões externas sempre marco no horário em que eles estão na escola.

Como meu trabalho é para o público infantil, tenho em casa uma enorme fonte inspiradora e eles sempre me ajudam quando estou criando novas estórias ou novos projetos. Meu próximo projeto é trazer para as crianças daqui um pouco da África, através da cultura, da arte e dos contos angolanos.

Tenho uma rotina bem puxada, pois sem a presença do pai a maior parte do tempo tenho que me virar para atender a todas às necessidades.

Graças a Santa tecnologia mantemos uma rotina diária de contatos pela internet e pelo telefone. Marcos ainda não conseguiu ter um período fixo de retornos, mas estamos trabalhando muito para regularizar estes períodos .

Ainda neste ano, eu terei que voltar a Angola e vamos ter mais essa novidade para administrar.É que eu nunca fiquei longe deles. Enfim, vamos levando do jeito que podemos para conciliar tudo com muito amor, rotina, perseverança e superação.

DSC_1989-Edit

DSC_1943-Edit

DSC_1940-Edit

DSC_1963-Edit

DSC_1950-Edit-Edit

(Fotos: DayDream Fotografia)

Comentários no Facebook
2 Comentários
  1. Denise 06/05/2015 | 22:35

    Me interessei pelos livros que a Márcia escreve. Pode citar alguns títulos ou o nome completo da autora para fazer a pesquisa?

    Responder
  2. Rosa 07/05/2015 | 14:13

    Vc é uma pessoa incrível, essa luz que a protege e ilumina continue a brilhar mais e sempre, beijos coloridos para todos vcs

    Responder
Deixe um comentário