07.11.2013

Parto normal ou cesariana? Entenda a diferença de cada parto.

Parto, To Grávida

iStock_000016810596XSmall

Hoje vamos falar um pouco sobre as diferenças entre o parto normal e a cesariana. O objetivo principal deste texto é deixar as futuras mamães bem informadas sobre as vantagens e desvantagens desses dois partos.

Primeiro, é importante lembrar que a decisão sobre o tipo de parto deve ser feita de forma consciente. E para que isso aconteça, a mãe precisa ser bem orientada durante seu pré-natal e estabelecer uma relação de total confiança com seu médico.

Conversamos com a Dra. Manuela Gurgel, ginecologista do Hospital da UERJ, que nos explicou as principais diferenças.

Parto Normal

No parto normal, a mãe (ou o casal) participa ativamente no nascimento do filho, interagindo e construindo um vínculo afetivo com o bebê. Logo após o nascimento, o recém-nascido é prontamente acolhido pela mãe, estreitando a relação entre eles e facilitando a amamentação.

Nesse tipo de parto, a recuperação da mulher é mais rápida e a mãe possui menores riscos de infecções, trombose e hemorragias.

Atualmente, para alguns casos, é possível aliviar a dor com o uso de anestesia, diminuindo significativamente as dores durante todo o processo. Além disso, também existem diversas técnicas sem o uso de medicações que reduzem a dor durante o trabalho de parto, tais como exercícios orientados, massagens e banhos com água quente.

Uma grande vantagem do parto normal é que o bebê nasce no momento em que está pronto para vir ao mundo. E a passagem pela via natural do parto também favorece a saída dos líquidos pulmonares do bebê, diminuindo os riscos de problemas respiratórios.

O tempo de realização de um parto normal pode variar muito, em média são cerca de 12h de trabalho de parto para quem está tendo o primeiro filho, mas esse tempo tende a diminuir a partir do segundo filho.

 

Parto Cesariana

Em certos casos, quando existem riscos para a mãe ou para o bebê, a cesariana torna-se fundamental.  Como exemplos, quando há o descolamento prematuro da placenta, apresentação pélvica (bebê sentado), sofrimento fetal, malformações congênitas, herpes genital ativa, infecção pelo HIV, entre outros.

Ao optar pela cesariana, a mãe pode decidir quando será o nascimento do seu filho, podendo se preparar para esse momento. Durante o procedimento a mãe não sente dores devido à anestesia, que geralmente é a raquidiana, mas que pode variar de acordo com cada caso.

Embora a cesariana seja uma intervenção realizada com muita segurança, não podemos esquecer de que se trata de um procedimento cirúrgico e possui riscos inerentes a qualquer cirurgia, e pode ocorrer maior dificuldade de vínculo e amamentação. A recuperação deste tipo de parto costuma ser mais lenta.

Também pode variar de mulher para mulher, mas em média o tempo de cirurgia é de uma hora.

É essencial que todas as mulheres tenham  informações necessárias para optar pelo tipo de parto que melhor atenda suas expectativas e necessidades, de forma que fiquem confortáveis e tranquilas para chegada do bebê. A relação médico-paciente é de extrema importância durante todo o pré-natal para que a gestante e o obstetra estejam em plena sintonia durante o parto.

Não tenha medo de conversar com o seu médico e preparar-se para o momento mais feliz da sua vida!!!

Comentários no Facebook
2 Comentários
  1. Jaqueline Fernandes Senra Teófilo 03/01/2014 | 13:01

    Tenho uma filha linda de 3 aninhos que se chama Heloísa. Ela nasceu de parto normal. Foi um parto rápido, durou em média 4h, por isso acho que foi um parto legal. Senti muita dor, mas depois, é como se não tivesse sentido tudo aquilo…fui para casa e cuidei da Helo sem precisar da ajuda de ninguém!!!! Acredito que o parto normal é bom quando é rápido, pois já ouvi relatos de pessoas que dizem ter ficado o dia todo com dor e não ter a dilataçao necessária. Quando isso acontece, muitas ficam com trauma e é onde o parto normal passa a ser anormal. Uma boa conversa com o médico é interessante para que essa decisão seja correta, porque como disse meu médico, essa decisão deve ser feita em conjunto, pois existem vários fatores que determinam o tipo de parto adequado para cada pessoa.

    Responder
  2. Juliana prado Santana 03/02/2014 | 15:22

    Oi Fê ! Sou mãe da Maria Eduarda que nasceu dia 12/10/13 de cesariana. No último mês de gravidez minha pressão subiu e meu médico optou pela cesárea por ser mais seguro nesses casos. Minha recuperação foi ótima e às vezes eu nem lembrava que tinha feito uma cirurgia. Os dois primeiros dias são complicados, mas eu logo tava fazendo de tudo. Senti vontade de fazer parto normal, mas preferi pela segurança minha e da minha filha e eu acho que é isso que importa. O parto foi super emocionante e nunca vou me esquecer desse dia.

    Responder
Deixe um comentário