24.09.2016

O que mulheres de vários países levam para a maternidade?

Enxoval, To Grávida

Fazer a mala da maternidade deixa muitas mães com dúvidas. O que levar? No Brasil, dependendo da maternidade alguns itens extras precisam ser incluídos. Não deixe de consultar a maternidade onde será o seu parto. Para quem não viu, já fizemos um post super completo sobre o assunto “O que levar na mala de maternidade do bebê“.

Para mostrar a diversidade, a ONG britânica WaterAid divulgou o que grávidas de diversas nacionalidades levam para o hospital para o nascimento do bebê. Algumas mulheres precisam levar a própria água e desinfetante para limpar o quarto do hospital. Curioso, né? Vejam que interessante!

Takako, Japão – Roupinhas de bebê, um cartão de seguro, formulários de consentimento para a internação e transfusões de sangue, registro de saúde materno-infantil, bilhete de registro de paciente, shorts maternidade, sutiã e produtos de higiene pessoal.mala maternidade3

 

Katy Shaw, Austrália – produtos de higiene pessoal, lanches, fraldas, chapéu, meias, luvas, roupinhas de bebê, roupas para si, almofadas de maternidade e de amamentação e óleos de massagem.
mala maternidade5

 

Hazel Shandumba, Zâmbia – cobertor para bebê, roupinhas, sarong (traje), uma bacia para água e um rolo de polietileno para colocar na cama mantendo a higiene, pois não há água no local do parto.mala maternidade7

 

Zaituni, Tanzânia – Roupas, um frasco, uma garrafa de água e comida.mala maternidade11

 

Deanna Neiers, Estados Unidos – Música, óleo de coco para a massagem, óleo de lavanda, gel de arnica, lanches, sutiã e travesseiro de amamentação, roupas para vestir no hospital, cobertor e roupinhas para o bebê.mala maternidade12

 

Joanna, Reino Unido – Fraldas, roupas de bebê, calças de malha, petiscos, uma toalha, produtos de higiene, uma máquina TENS, usada como alternativa ao medicamento analgésico, almofadas de maternidade, um iPad, uma garrafa de água, notas médicas e um cobertor.
mala maternidade

 

Kemisa, Uganda – Roupas de bebê, luvas cirúrgicas, sabão em pó, desinfetante, um frasco e copo, um receptor para cobrir seu bebê, fraldas e roupas de cama.maternidade5

(Fotos: Reprodução/WaterAid)

21.09.2016

Campanha de atualização da Caderneta de Vacinação

Bebês, Saúde

Começou nesta semana, em todo o país, a Campanha de Vacinação para crianças e adolescentes.

Mais de 200 postos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vão disponibilizar todas as vacinas do calendário básico da criança e do adolescente, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A campanha é para menores de 5 anos e de 9 a menores de 15 anos. Leve junto com a Caderneta de Vacinação dele ou algum comprovante da situação das vacinas. Os documentos serão avaliados pelas equipes de saúde e eventuais doses que não tenham sido feitas na época indicada serão aplicadas.

Para crianças menores de 5 anos que precisem completar os esquemas de imunização, estarão disponíveis as vacinas: BCG, Pentavalente, Rotavírus, Pneumo 10, Meningo C, Tríplice Viral, DTP infantil, contra varicela, contra poliomielite (VIP e VOPb), contra hepatite A, contra a hepatite B, entre outras.

Haverá também aplicação da segunda dose da vacina contra influenza para crianças que receberam a primeira dose durante a campanha de maio.

Para o grupo de adolescentes de 9 e 14 anos, estarão disponíveis Tríplice Viral, Dupla Adulto, contra hepatite B e contra HPV; esta última específica para as meninas.

O Dia D de mobilização nacional está marcado para o próximo sábado (24), quando os postos estarão abertos para atender a quem tiver dificuldade de comparecer ao local em horário comercial. A campanha de vacinação segue até 30 de setembro em cerca de 36 mil postos fixos em todo o Brasil.

Consulte o pediatra do seu filho e veja as vacinas que ele precisa tomar. E para mais informações acesse o site Ministério da Saúde.

vacinacao_campanha_infantil

 

20.09.2016

Bebês aprendem a comer observando os adultos

Bebês, Saúde

Crying baby boy refusing to eat food from spoon with hands dirty

“Se você alimenta a sua criança com uma dieta perfeita, mas ela vê você, seus amigos e parentes comendo alimentos não saudáveis, ela está aprendendo sobre a comida pelas experiências sociais” disse Katherine Kinzler coautora da pesquisa publicada no periódico “Proceedings of the National Academy of Sciences“.

De acordo com esse estudo, novas evidências científicas mostram que bebês aprendem a comer observando o que os adultos estão comendo na mesa de jantar. Claro que há exceção, sabemos de muitos casos de mães que não comem bem com filhos super saudáveis e vice-versa, mas achamos o estudo super interessante.

Os pesquisadores também descobriram que bebês de um ano de idade conseguem traçar padrões de gosto alimentar e esperam que as pessoas devam gostar dos mesmos alimentos, a não ser que pertençam a grupos sociais ou culturais diferentes.

O estudo foi conduzido com mais de 200 bebês, que no laboratório assistiram a vídeos de pessoas expressando gostar ou não gostar de determinado alimento. Quando os bebês viam duas pessoas que falavam a mesma língua ou agiam como amigos, eles esperavam que elas gostassem das mesmas comidas. Quando as pessoas mostravam inimizade ou falavam línguas diferentes, eles esperavam que elas gostassem de comidas diferentes.

E ai? O que acharam? Qual exemplo de alimentação vocês dão para os filhos?

(Fonte: O Globo)

Page 1 of 18312345