22.11.2014

7 diferenças curiosas de uma brasileira grávida nos EUA

Mamães & Papais, registros especiais, To Grávida

São muitas as diferenças entre ter um bebê no Brasil e nos EUA. Algumas são beeem polêmicas e rendem discussões grandes…rsrs Outras são apenas questões culturais. Mas a verdade é que as diferenças causam espanto por aqui e por lá…

Vejam algumas diferenças curiosas que a gravidinha brasileira Fernanda Hession, que mora em New Jersey, nos EUA, contou pra gente. Claro que não podemos generalizar, essas foram as percepções dela e podem ser diferentes de Estado pra Estado né…

Alguém aqui mora fora do Brasil e tem mais curiosidades? Escrevam nos comentários! ;-)

gravida eua

 1- DESCOBRIR O SEXO DO BEBÊ

Minhas amigas no Brasil com 8-9 semanas já sabiam o sexo do bebê que iriam ter, pelo teste de sangue de sexagem. Eu tive que esperar até completar 16 semanas e ver no ultrassom. Eles nem conhecem esse exame de sangue e a única forma de descobrir antes nos EUA é se você tiver uma gravidez super de risco. Nesses casos, eles fazem um exame de sangue do seu DNA para descobrir alguma anomalia (geralmente para pessoas mais velhas) e esse exame de sangue acaba mostrando o sexo do bebê antes, mas só conheci uma pessoa que fez isso, a maioria não faz nem ideia que existe isso. Nossa espera pela surpresa realmente e looooonga!!

2- VISITA AO MÉDICO

Essa eu não sei se tem tanta diferença, de repente o tempo da consulta. Eu estou com 19 semanas então só vejo o médico a cada 4 semanas. Minha médica não faz ultra no escritório a não ser que ela não consiga escutar o coração do bebê. Geralmente chego lá, a enfermeira me pesa, tira minha pressão e depois vem a médica e diz se está tudo bem, eu faço as ultras numa clinica especializada então eles mandam os resultados para ela e ela da um ok. A visita leva no máximo 10-15 minutos.

3- PARTO

Nos EUA cesárea marcada não existe. Lá eles te dão o seu “Due Date” e você realmente tem que esperar o dia que seu filho tiver que nascer. Nada programado. A única coisa que eles fazem é se passar 1 semana do seu “Due Date” geralmente eles não deixam passar das 41 semanas, então o parto é induzido. Cesárea lá é levada realmente como última opção e não primeira. Cesárea só quando tiver algum risco ou depois de tentar o parto normal e não tiver sucesso. Eu não posso generalizar isso, mas sei que todas as minhas amigas americanas passaram por isso e minha médica também não me dá outra opção o que eu entendo e concordo, quero parto normal. Mas sei que em comunidades Brasileiras alguns médicos podem aceitar a cesárea sim, mas a norma é que não, só emergência e nada de parto com dia certo marcado.

4- AMAMENTAÇÃO

Ela é encorajada nos hospitais, eles até dão aulas para você aprender a amamentar, mas a realidade é que muita, mas muita americana não gosta. Acho que isso é muito cultural. Muitas amigas minhas lá não amamentam por pura vaidade, e a principal queixa delas é a dor. Elas também têm muito pudor em amamentar em público, não fazem de jeito nenhum. Eles até vendem nas lojas de bebê um avental que você se cobre para amamentar em público. Isso é algo que me choca porque sempre fui acostumada aqui no Brasil em ver as mães amamentando em todos os lugares.

5- LICENÇA MATERNIDADE

Isso eu tenho que comparar aqui. A licença maternidade nos EUA é de geralmente 6 semanas (menos de 2 meses). E na maioria dos lugares elas não são remuneradas  ou quando são você ganha em torno de 60% do seu salário. Isso depende de empresa para empresa. Eu dou sorte de receber uma licença integral, 100% paga por 3 meses. isso e considerado realmente um luxo. Acredito que isso até influencie o fato da amamentação não ser tão prioridade, imagina que a mãe não tem muito tempo de ficar em casa, a não ser que opte em não trabalhar, o que acontece muito.

6- BANHO EM RECÉM-NASCIDO

Essa eu descobri há pouco tempo quando estava fazendo a lista do enxoval. Eu muito preocupada em escolher a banheirinha certa para colocar na lista e a menina da loja disse que não era para se preocupar porque recém-nascido não toma banho até completar 1 mês. Fiquei em choque e ela explicou que só passa um paninho umedecido porque não pode dar banho até o cordão umbilical cair. Fui perguntar para outras amigas americanas e elas confirmaram. Achei esquisito já que meus pais sempre deram banho em mim desde a maternidade, essa realmente foi uma curiosidade que descobri.

7- FURO NA ORELHA

Não tem jeito, se você tem uma menina pode esquecer que eles não vão furar a orelha no hospital e nem tão cedo. Geralmente eles esperam quase 1 ano para furar, mas tenho amigas que conseguiram furar a orelha da filha numa joalheria com 6 meses de idade. Eles acham uma maldade isso. No Brasil parece que também não furam mais na maternidade como faziam antigamente, mas é comum furar logo nos primeiros meses, bem diferente do que nos EUA.

gravida eua3

gravida eua2

 

Comentários no Facebook
5 Comentários
  1. Carlos 22/11/2014 | 17:36

    Adorei a reportagem de Fernanda Hession. Ela mostrou a diferença de cultura entre dois países bem diferentes, USA & Brasil, principalmente se levarmos em conta o fator econômico. Vejo que aqui no Brasil muitas coisas a respeito do apoio a futura mamãe estão mais avançados. Principalmente nas ações sociais de licença a maternidade e a opção de escolha da forma de fazer o parto.Valeu minha filha!

    Responder
  2. Ludmila Neder Monteiro 22/11/2014 | 17:52

    Morei em New York City 1 ano e 4 em Jersey City. Engravidei e fiz pré-natal nos USA ate a 29 semana, quando mudei p França. Eu fazia o ultrassom no consultorio mesmo da minha medica, mas quem fazia era a tecnica em ultrassonografia. Eles me disseram q eu so poderia descobrir o sexo na 20 semana. Minha medica conhecia o teste da sexagem, q se faz no Brasil, mas me disse q nos USA, eles so fazem em casos especificos. Nao sabia dessa parte sobre o banho!

    Me mudei p Franca e minha filha nasceu aqui! De oarto normal! Excelente atendimento! Tudo pelo plano de saude publico! Referencia mundial! E tudo funciona! Fiquei bastante impressionada! Aqui eles tb nao furam a orellha das meninas…. So depois de 5 anos de idade!

    Ela ja esta com 1 ano e 3 meses e estou tentando engravidar de novo!

    Bjos p todas as mamaes e futuras mamaes!

    Responder
  3. Kalianne Anjos 23/11/2014 | 11:19

    Olá..Sou brasileira e estou em Portugal e estou grávida de 5 meses. E a minha segunda gravidez tenho uma filha de 21 anos kkkkk.. E verdade vê muito tempo depois para começar tudo novamente. Adorei a entrevista sobre as diferenças de culturas, aqui em Portugal e igualem rrelação a saber o sexo, a data no nascimento. Mais em relação ao banho portugueses tomam banho mais cedo.. Beijos

    Responder
  4. Debora 11/12/2014 | 12:10

    Moro me Boston e estou grávida do meu segundo bebê aqui.
    No mesmo país, com certeza o atendimento muda de estado para estado.
    Aqui sou atendida pela minha obstetra no hospital e faço as ultrassonografias e todos os exames (sangue, early risk assessment, etc) no mesmo local.
    Descobri o sexo do meu primeiro filho no ultra com 13 semanas. Nesta segunda gravidez não deu para ver o sexo no ultra de 12 semanas, então descobrirei no próximo, com 18 semanas.
    Amamentação e parto normal são super incentivados, assim como a permanência do bebê o tempo inteiro no quarto de hospital com a mamãe e o papai nos dias após o nascimento até ir para casa. Nada de incentivar o bebê a ficar no berçário para ser cuidado pela enfermeira, ao menos que a criança tenha uma condição fora do “normal”.
    Quanto a banhos, meu bebe tomou o primeiro banho duas horas após nascer no quarto de hospital que estávamos. A enfermeira foi super atenciosa e ela disse que iria dar o primeiro banho para nos mostrar como fazer em casa. O que nos foi ensinado não é que o neném não deve tomar banho, mas sim que não precisa de banho todos os dias nas primeiras semanas. Ela nos ensinou como dar um banho de esponja, caso a gente não queira usa a banheirinha. Mas também deixou bem a nosso critério essa questão, afirmando que bebês não precisam tomar banhos todos os dias, mas se o neném gosta de banhos pode ser uma forma de acalma-lo.
    Outra questão aqui é, se você estiver grávida de menino, eles perguntam se os pais querem que o bebê seja circuncisado ou não. Caso os pais optem por fazer, a cirurgia é feita no hospital no dia seguinte ao nascimento. No Brasil esse procedimento geralmente é associado a religião da família, enquanto que aqui é um procedimento comum feito na maioria dos meninos, já que pesquisas comprovam vários benefícios.

    Responder
  5. Juliana 18/09/2015 | 19:09

    Ainda nao li os comentarios ja postados, mas nos eua o bebê nao toma BCG ao nascimento, pois tuberculose eh considerada doença do 3o mundo :/

    Responder
Deixe um comentário